Projeto “Dança, Encontros Notáveis” realiza workshops em São Paulo

Entre os dias 10 e 25 de agosto, a Secretaria de Cultura do Estado de São Paulo promove a Série V do projeto “Dança, Encontros Notáveis”, que vem sendo realizado nas Oficinas Culturais do estado.

O foco dos eventos é a formação e troca de conhecimento entre mestres e artistas. Nesta série, durante as sextas-feiras dos dois primeiros encontros serão apresentadas obras inéditas. Serão realizados também workshops e debates que acontecem em três sábados do mês.

Nos dias 10 e 11, o evento terá a participação bailarino João Wlamir (D.C. Companhia de Dança), que dança no dia 11, junto com dois outros bailarinos. Nos dias 17 e 18 de agosto, será a vez da coreógrafa Márcia Milhazes (Companhia de Dança Marcia Milhazes), quearesenta um solo inédito, depois de muito tempo afastada dos palcos.

Dia 25 de agosto, sábado, a série termina com workshop e conversa com professora Toshie Kobayashi (Escola de Dança Toshie Kobayashi).

A entrada para os espetáculos é gratuita.

As inscrições para o workshop podem ser feitas até três dias antes do evento pelo e-mail encontrosnotaveis@oficinasculturais.org.br.

Fonte: Cultura e Mercado

Rio de Janeiro terá encontro de produtores musicais

por Louise Palma
No dia 16 de junho, o Rio de Janeiro recebe o Estúdio Aberto, o primeiro encontro de produtores musicais do Brasil. A ideia do evento é reunir profissionais da área para discutir temas ligados à produção musical. Inspirado em workshops que já acontecem fora do país, o Estúdio Aberto pretende fazer a ligação entre profissionais que procuram aperfeiçoar seus conhecimentos e nomes relevantes do mercado fonográfico, que atuam em grandes produções, ditando tendências na área.

Para isso, foram convidados os produtores Torcuato Mariano e Fernando Moura, e os engenheiros Walter Costa e Ricardo Garcia. Nesta edição de estreia, temas como composição, arranjo, gravação, mixagem e masterização serão divididos entre os palestrantes, que carregam no currículo trabalhos com grandes artistas nacionais – como Djavan, Marisa Monte, Paralamas, Ana Carolina e Arnaldo Antunes – e internacionais, como Chuck Berry e George Martin.

Os interessados em participar do Estúdio Aberto podem fazer sua inscrição no site da Iatec, parceira do evento, que será realizado das 10h às 18h.

Serviço:
Estúdio Aberto
Quando: 16 de junho
Onde: Teatro Carlos Gomes, no Rio de Janeiro (Rua Pedro I, nº 4 – 2º andar, Praça Tiradentes – Centro)
Valor: R$200,00
Informações: atendimento@overdubbing.com.br
(21) 2493-9628 / (21) 2486-0629 (Iatec)

Fonte: Áudio, Música & Tecnologia

Workshop Fátima Toledo

Street Dance Conference 2011 – Itajaí/ SC

Workshop com Yara Castro – SP

2º Workshop de Interpretação para Teatro Musical

Programação – 2º semestre na Oficina Oswald de Andrade

ARTE-EDUCAÇÃO

WORKSHOP DE ARTE-EDUCAÇÃO “MACUNAÍMA: UMA EXPERIÊNCIA TEATRAL”

Coordenação: Mirtes Mesquita

10/09 a 19/11 – sábados – 10h às 13h

Público: professores da rede pública e arte-educadores

Inscrições: 08/08 a 06/09

Seleção: carta de interesse

30 vagas

Objetiva a transposição para a cena da obra literária por meio da literatura de Mário de Andrade, ampliando o olhar para o universo da cultura brasileira, o exercício da criatividade, o aprendizado de técnicas teatrais e soluções dramatúrgicas, enriquecendo seu repertório pessoal para que possa aplicá-lo em sala de aula. Recomenda-se assistir ao espetáculo “As Histórias de Shantá”.

Mirtes Mesquita é mestranda em Artes pela Escola de Comunicações e Artes da USP. Participou da adaptação da obra “Macunaíma” de Mário de Andrade para o teatro, sob a direção de Antunes Filho. Além de atriz, é professora, diretora e produtora cultural.

WORKSHOP “O ENSINO DE ARTES: PROCESSO X RESULTADO”

Coordenação: Kátia de Carvalho Lazarini

03 a 24/09 – sábados – 14h30 às 17h30

Público: professores, estudantes de artes, pedagogos e arte-educadores

Inscrições: 08 a 30/08

Seleção: primeiros inscritos

20 vagas

O workshop visa contextualizar historicamente o ensino das artes no Brasil, traçando um panorama sobre o conceito de “processo” no ensino/aprendizagem em artes. Os participantes exercitarão o planejamento de novas estratégias de aula, a partir dessa premissa.

Licenciada na Escola de Comunicação e Artes da USP, Kátia Lazarini atua principalmente na área do ensino de teatro e dança. Integra como atriz e produtora o Coletivo Teatro Dodecafônico, grupo formado em 2008 com pesquisa sobre a utilização de diferentes espaços físicos na prática cênica.

PALESTRA “A ARTE DE CONTAR HISTÓRIA NO SÉCULO XXI”

Coordenação: Cléo Busatto

Período: 03/09 – sábado – 10h às 12h

Público: arte-educadores, professores de artes, atores e contadores de histórias

Inscrições: 08/08 até a data do encontro

Seleção: primeiros inscritos

40 vagas

Reflexão sobre os espaços possíveis para a narração oral no século XXI, da narrativa presencial à narrativa virtual. Abordagem do ciberespaço: expressão, poéticas e significações sugeridas por esse meio. Apreciação dos softwares sobre narração oral no meio digital, produzidos pela palestrante: Contos e encantos dos 4 cantos do mundo; Lendas brasileiras, Nos Campos do Paiquerê e Formosos Monstros.

Cléo Busatto é escritora. Mediadora em projetos sobre oralidade, leitura e literatura infanto-juvenil. Narradora oral de histórias. Investiga a narração oral no meio digital o que resulta na produção de softwares educativos. Mestre em Teoria Literária pela UFSC – Universidade Federal de Santa Catarina.

OFICINA DE FORMAÇÃO PARA CONTADORES DE HISTÓRIAS

Coordenação: Pamela Duncan

12/09 a 30/11 – segundas e quartas-feiras – 18h30 às 21h30

Público: arte-educadores, contadores de histórias, atores e estudantes de teatro

Inscrições: 08 a 31/08

Seleção: carta de interesse, currículo e entrevista (dia 05/09, segunda-feira, às 18h30)

20 vagas

A oficina de cunho prático pretende trabalhar diferentes eixos da milenar arte de contar histórias: o corpo como instrumento de comunicação, partituras corporais, aspectos da leitura, entre outros. Ao longo da oficina serão desenvolvidas histórias a serem apresentadas ao final dos encontros.

Fundadora do núcleo “A Peste, Cia. urbana de Teatro”. Dirigiu as peças de teatro físico “Sonhei com Charles Chaplin”, “A Menina que Descobriu a Noite”, “O Processo” de Kafka, entre tantos outros. Curadora do evento internacional  “Art Futura” de novas tecnologias. Coordena o núcleo de Teatro-educação da Prefeitura de Taboão da Serra e ministra cursos no exterior e em diferentes capitais do país.

ARTES PLÁSTICAS

OFICINA DE GRAVURA EM METAL

Coordenação: Kika Levy

23/08 a 29/11 – terças-feiras – 18h30 às 21h30

Público: estudantes de artes visuais e jovens artistas em processo de formação, a partir de 18 anos

Inscrições: 08 a 20/08

Seleção: primeiros inscritos

20 vagas

Orientação das técnicas de gravura e acompanhamento do desenvolvimento dos trabalhos individuais através do ateliê aberto. As aulas serão compostas por descrições das técnicas, apoiadas em apresentações de imagens de livros apresentando obras de artistas, seguidas de práticas aplicadas aos trabalhos individuais dos alunos.

Formada em Desenho Industrial pela FAAP e pós-graduada em Artes Plásticas pela Faculdade Santa Marcelina, tendo como orientador Hermelindo Nardin. De 2002 a 2006 frequentou o Ateliê Piratininga sob a orientação de Ernesto Bonato. Recentemente coordenou workshops e cursos de gravura no Sesc Pompéia e Belenzinho. Ministra aulas de gravura e aquarela em seu ateliê.

OFICINA DE XILOGRAVURA

Coordenação: Francisco Maringelli

25/08 a 30/11 – quintas-feiras – 18h30 às 21h30

Público: estudantes de artes visuais e jovens artistas em processo de formação, a partir de 18 anos

Inscrições: 08 a16/08

Seleção: primeiros inscritos

20 vagas

Fundamentos técnicos da xilogravura em todas suas etapas: concepção, transferência para a matriz, gravação e impressão, procurando aprofundar discussão à respeito das potencialidades expressivas e poéticas no contexto da produção contemporânea.

Formado em Artes Plásticas pela FAAP e em Arquitetura pela FAU/USP. Frequentou o Ateliê de Gravura do Museu Lasar Segall/SP. Desenvolveu o projeto “Grandes Formatos na Gravura em Relevo” com incentivo da Bolsa Vitae. Participou de várias exposições coletivas no Brasil, Itália, Canadá, México, EUA, Alemanha, Holanda entre outros. Participou também de várias Bienais nacionais e internacionais. Ministra workshops de xilogravura desde1985.

ATELIÊ LIVRE

O ateliê livre é aberto aos participantes das oficinas de xilogravura e metal e também a outros interessados na prática da gravura. Não há necessidade de inscrição. As atividades acontecerão nas quartas-feiras abaixo, das 18h30 às 21h30, e serão supervisionadas pelos coordenadores das oficinas.

Xilogravura: 31 de agosto, 21 de setembro, 05 e 26 de outubro, 16 e 30 de novembro

Metal: 24 de agosto, 14 e 28 de setembro, 19 de outubro, 09 e 23 de novembro

OFICINA “GRUPO DE ESTUDOS PARA JOVENS ARTISTAS”

Coordenação: Bruno Moreschi e Márcia Moraes

01/09 a 15/12 – quintas-feiras – 18h30 às 21h30

Público: estudantes de artes visuais e jovens artistas em processo de formação, a partir de 18 anos

Inscrições: 05 a 27/08

Seleção: portfólio via email nucleojovensartistas@gmail.com ou CD entregue no ato da inscrição

15 vagas

O núcleo de estudos será um espaço em que jovens artistas poderão apresentar seus trabalhos, analisar em conjunto as obras dos demais participantes e também se deparar com diversas referências que possam enriquecer suas produções artísticas.

Bruno Moreschi é jornalista formado na Universidade Federal de Santa Catarina

(UFSC), artista plástico e crítico de arte especializado em artes plásticas. Escreve

regularmente para publicações nacionais e internacionais como a revista “Piauí” e

“Bravo!”. Também atua no mercado editorial, especialmente em livros relacionados às artes visuais.

Márcia Moraes é bacharel e mestre em Artes Plásticas pela Unicamp. Em 2009,

teve sua primeira individual no Centro Universitário Maria Antonia. Em 2010, realizou uma individual na Galeria Leme. A artista participa regularmente de exposições no Brasil e no exterior. No ano passado, fez residência artística na cidade de La Roche-en-Brenil, França.

WORKSHOP DE ILUSTRAÇÃO

Coordenação: Orlando Pedroso

06 a 27/09 – terças-feiras, das 19h30 às 21h30

Público: Ilustradores, desenhistas e estudantes de artes.

Inscrições: 08 a 31/08

Seleção: carta de interesse

20 vagas

Através de conceitos da ilustração editorial, o workshop focará o processo pessoal de desenhar, a fim de trabalhar o desbloqueio com o meio, experimentando diferentes tipos e dimensões de suportes.

Orlando Pedroso é ilustrador desde 1978 e trabalha no jornal Folha de São Paulo desde 1985. Já ilustrou mais de 60 livros infanto-juvenis e foi vencedor do Prêmio HQ Mix de melhor ilustrador nos anos de 2001, 2005 e 2006, e Artista Homenageado no Festival Internacional de Quadrinhos de Belo Horizonte de 2007.

OFICINA “FUNDAMENTOS DO DESENHO E DA PINTURA”

Coordenação: Carlito Contini

08/09 a 28/11 – segundas e quintas-feiras – 18h30 às 21h30

Público: estudantes de artes e interessados em geral

Inscrições: 08 a 22/08

Seleção: carta de interesse e aula-aberta (01/09, quinta-feira, das 18h30 às 21h30)

20 vagas

A oficina pretende desenvolver técnicas básicas de desenho e pintura explorando diferentes procedimentos e materiais, a fim de instrumentalizar o aluno tecnicamente e dar suporte teórico para que possa desenvolver o seu trabalho individual. Será explorado o desenho de observação com modelos vivos convidados.

Carlito Contini é mestre em poéticas visuais pela ECA-USP e docente da FAAP, onde também foi aluno. Desde a década de 70 expõe regularmente seus trabalhos. Entre as mostras mais recentes estão as individuais “O Paciente Circular”, na Galeria Casa Triângulo, “Ponto e Fuga”, na Estação Pinacoteca e “Projeto Parede”, no Museu de Arte Moderna de São Paulo.

WORKSHOP “INTRODUÇÃO À ARTE CONTEMPORÂNEA”

Coordenação: Diana Tubenchlak

12/09 a 01/10 – segundas-feiras, das 15h às17h (visita à exposição no sábado, dia 01/10)

Público: interessados em geral

Inscrições: 08/08 a 08/09

Seleção: carta de interesse

20 vagas

O Workshop apresentará uma seleção da produção artística atual, relacionando-a com o dia-a-dia dos participantes, através de leitura de imagens, conversas e produções plásticas. No último encontro haverá visita a uma exposição, seguida de debate.

Diana Tubenchlak é licenciada em História da Arte pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro. Desde 2001 desenvolve oficinas e atividades em projetos sociais, ONGs, museus e espaços culturais e desde 2006, pesquisa e trabalha com mediação em arte contemporânea.

PALESTRA “ENTRE LINHAS: O DESENHO, A GRAVURA, A FOTOGRAFIA, O VÍDEO, A INSTALAÇÃO”

Coordenação: Edith Derdyk

14/09 – quarta-feira – 19h às 21h30

Público: artistas visuais, estudantes de artes e interessados em geral

Inscrições: 08/08 a 13/09

Seleção: primeiros inscritos

70 vagas

Relato do percurso da artista plástica paulistana Edith Derdyk, que tem a linha como núcleo poético de seu trabalho nas várias mídias. Edith sinalizará a natureza transitiva e transitória do desenho a partir de sua produção, alinhavando fronteiras possíveis entre o desenho contemporâneo e outras matérias e meios.

Edith Derdyk é artista plástica, educadora e ilustradora. No Brasil expôs na Pinacoteca de SP, MAM, CCBB, Ito, Paço das Artes, Paço Imperial, Casa das Onze Janelas, MASP, MAC, entre outras, além de exposições na França, Alemanha, USA, Suécia, México. Autora dos livros “Formas de Pensar o Desenho”; “O desenho da Figura Humana”, entre outros. Artista residente em  The Banff/Canadá; Vernont Studio Center/USA; Bellagio Center/The Rockfeller Foundation/Itália.

CICLO DE SEMINÁRIOS “EM DIRETO”

Coordenação: Paulo Miyada

05 a 26/11 – Sábados – 15h às 18h

Público: Artistas visuais, arquitetos, estudantes de artes e interessados em geral

Inscrições: 08/08 a 29/10

Seleção: primeiros inscritos

40 vagas

Série seminários em torno da noção de presença e de simultaneidade nas artes visuais, a partir do conceito de ‘em direto’ – como são chamadas na França e Portugal as transmissões radiofônicas ou audiovisuais realizadas ao vivo. Cada encontro contará com a contribuição de um convidado que falará sobre o tema. Paralelamente, sob curadoria de Paulo, estará em cartaz exposição de mesmo título em diálogo com os seminários e, portanto, disparadora de novas questões.

05/11: Guilherme Teixeira

Artista e educador, formado pela FAAP em Artes Plásticas e mestre em Artes Visuais pela ECA USP, expõe regularmente seus trabalhos em salões e galerias do país.

12/11: Vitor César

Arquiteto e urbanista pela UFC, Vitor César é também mestre em Poéticas Visuais pela ECA-USP onde investiga diferentes noções de público em práticas artísticas, sob orientação de Ana Maria Tavares.

19/11: Sérgio Bolliger

Arquiteto e mestre em filosofia pela UNICAMP, seu principal interesse no campo é o pensamento de Martin Heidegger.

26/11: Cristiano Lenhardt

Artista formado pela UFSM, Cristiano Lenhardt ganhou diversos prêmios e expõe regularmente seus trabalhos em galerias e salões do país.

Arquiteto e urbanista pela FAU-USP, onde cursa seu mestrado, Paulo Miyada foi assistente de curadoria da 29ª Bienal de São Paulo, coordena atualmente o Núcleo de pesquisa e curadoria do Instituto Tomie Ohtake e atua como curador do programa Rumos do Itaú Cultural 2011-12.

PROJETO “OSWALD CONVIDA exposições”

EXPOSIÇÃO “VER A CIDADE”

Curadoria: Hélio Schonmann

Artistas participantes: Francisco Maringelli, Gilberto Tomé, Hélio Schonmann, Kika Levy, Ulysses Bôscolo

23/09 a 28/10

Segunda a sexta – 9h às 21h, sábado – 10h às 17h30

Classificação livre

A mostra, composta por pinturas e gravuras, tem como foco a reflexão acerca da relação arte/cidade. A megalópole paulistana é tomada como foco temático, exatamente por ser palco privilegiado dessas tensões, determinantes da existência contemporânea. Com a finalidade de aprofundar essa reflexão, haverá, durante o período expositivo, um ciclo de debates com os artistas participantes e convidados.

Hélio Schonmann é artista plástico e professor. Freqüentou os ateliês de Raphael Galvez, Antônio Cabral e Antonio Carelli, bem como o Ateliê de Livre Criação em Artes Plásticas do Museu Lasar Segall, onde se tornou, posteriormente, orientador.  É autor do Projeto “Itinerância SP” e participa do Coletivo Água Branca, junto ao qual vem realizando projetos de arte pública coletiva na cidade de São Paulo.

EXPOSIÇÃO “EM DIRETO”

Curadoria: Paulo Miyada

Artistas participantes: Fábio Moraes, Cadu, Letícia Ramos, Théo Craveiro, entre outros.

05 a 26/11

Segunda a sexta, das 9h às 21h – sábados, das 10h às 17h30

Classificação livre

Mais de uma geração já nasceu e cresceu em um mundo marcado por transmissões ao vivo de notícias de guerra, espetáculos musicais e eventos esportivos, acostumada a, de alguma forma, apreender sentido e formar opiniões simultaneamente ao acontecimento e propagação dos eventos. A exposição reúne trabalhos que se valem dessa capacidade de interpretação acelerada, diante da imagem das coisas, enquanto ainda estão acontecendo. Durante o período da mostra, acontecerá aos sábados um ciclo de palestras de mesmo título que discutirá estas questões, sob coordenação de Paulo Miyada.

Arquiteto e urbanista pela FAU-USP, onde cursa seu mestrado, Paulo Miyada foi assistente de curadoria da 29a Bienal de São Paulo, coordena atualmente o Núcleo de pesquisa e curadoria do Instituto Tomie Ohtake e atua como curador do programa Rumos do Itaú Cultural 2011-12. Seu trabalho como professor alimenta-se das experiências supracitadas e desenvolve-se em cursos livres, seminários, palestras e debates acerca de exposições.

AUDIOVISUAL

WORKSHOP DE STOP MOTION “MUAN”

Coordenação: Ação Educativa / Centro da Cultura Judaica.

18/08 – quinta-feira – 10h às 13h.

Público: interessados em geral, a partir de 10 anos.

Inscrições: 20/07 a 17/08.

Seleção: ordem de inscrição (primeiros inscritos).

20 vagas.

MUAN é a sigla para Manipulador Universal de Animações, um software livre para ambiente LINUX desenvolvido para o Festival Anima Mundi pelo INPA com o apoio da IBM. A oficina prevê um cronograma essencialmente prático e as animações produzidas serão exibidas antes das últimas sessões da programação oficial do festival Cine Tela Brasil, projeto de Laís Bodanzky e Luiz Bolognesi, edição especialmente idealizada com o Centro da Cultura Judaica

PROCESSO DE CRIAÇÃO “VIDEOCRIATURAS – 30 ANOS”

Coordenação: Otávio Donasci

29 e 30/08 – segunda e terça-feira – 18h30 às 21h30

Público: profissionais e estudantes de artes visuais, cinema, vídeo, performance e teatro Inscrições: Inscrições: 08/08 até a data do encontro

Seleção: primeiros inscritos

40 vagas

Apresentação do vídeo documentário dos 30 anos das videocriaturas com comentários do próprio artista sobre a sua produção e reflexão sobre os rumos da performance na contemporaneidade.

Graduado e mestre em artes plásticas, é performer e criador de espetáculos multimídia. Vencedor dos prêmios: APCA e Mambembe pelo conjunto de obra e o Prêmio Lei Sarney de Arte Multimídia, pela criação das Vídeocriaturas. Com o diretor Ricardo Karman, cria as Expedições Experimentais Multimídia “Viagem ao Centro da Terra”, 1992, e “A Grande Viagem de Merlin”, 1994.

OFICINA “ROTEIRO DE SERIADO TELEVISIVO”

Coordenação: Drica C. Lopes

12/09 a 07/11 – segundas e quartas-feiras – 19h30 às 21h30

Público: atores, escritores e roteiristas, a partir de 18 anos

Inscrições: 08/08 a 01/09

Seleção: questionário e aula aberta (05/09 – segunda-feira, às 19h30)

20 vagas

Abordagem geral sobre roteiro e roteirização para contextualizar o participante quanto a termos técnicos e conhecimentos específicos do universo televisivo. Tendo como objeto de estudo séries nacionais e internacionais, serão abordadas questões como o uso diferenciado da imagem nas séries e a liberdade de criação em relação a novelas e filmes.

Drica Lopes é roteirista da série Conta com a Gente, produzido pela MultiRio e transmitido na BandRio. Formada pela USC, University of Southern Califórnia em roteiro televisivo. Roteirizou o programa “O Melhor do Brasil” e a série “Turma do Gueto”, ambas na TV Record. Também é membro da Associação de roteiristas AR.

PROCESSO DE CRIAÇÃO “SERIADOS DE TV”

Coordenação: Fernando Bonassi

24/10 – segunda-feira – 18h30 às 21h30

Público: estudantes de cinema, dramaturgos, escritores e roteiristas, a partir de 18 anos

Inscrições: 08/08 até a data do encontro

Seleção: primeiros inscritos

50 vagas

O foco do encontro será o processo de criação de Bonassi, com relatos da experiência em roteiros de televisão. A mediação com o público será feita por Adriana C. Lopes, coordenadora da Oficina de “Roteiros de Seriados Televisivos”.

Escritor, roteirista, dramaturgo e cineasta, com inúmeros livros e contos publicados no Brasil, França, Alemanha e EUA. É formado em Cinema pela ECA-USP, tendo participado como diretor/roteirista dos filmes “Os Matadores” e “O Trabalho dos Homens”, além das séries “Mundo da Lua”, “Castelo Rá Tim Bum” (TV Cultura) e “Força Tarefa” (TV Globo) em sua 3ª temporada.

OFICINA “LABORATÓRIO DE ATUAÇÃO PARA CINEMA”

Coordenação: Vanise Carneiro

11/10 a 13/12 – terças e quintas – 18h30 às 21h30

Público: atores e estudantes de artes cênicas, a partir de 16 anos

Inscrições: 08/08 a 01/10

Seleção: carta de interesse, currículo e aula aberta para pré-selecionados (06/10, quinta-feira, às 19h30)

20 vagas

O laboratório irá condensar exercícios e princípios fundamentais para o entendimento e desenvolvimento da atuação para cinema, tais como aquecimento direcionado, tempo e ritmo, valorização do silêncio e do olhar, ampliação da escuta, entre outros.

Vanise Carneiro é atriz, diretora e educadora. Bacharel em Artes Cênicas, tendo atuado no teatro e participado de vários filmes, tem em seu currículo um número extenso de premiações de atuação, direção e cenário. Desenvolveu a pesquisa “Atuação em Cinema – o trabalho do ator da preparação à filmagem”.

DANÇA

WORKSHOP DE DANÇA TEATRO “A NARRAÇÃO COREOGRÁFICA E O CORPO DO ATOR”

Coordenação: Cia “À Fleur de Peau” (Denise Namura e Michael Bugdahn)

22 a 25/08 – segunda a quinta-feira – 9h30 às 13h30

Público: atores profissionais e amadores, bailarinos e artistas do corpo

Inscrições: 08 a 16/08

Seleção: carta de interesse e currículo resumido

20 vagas

Partindo do trabalho de preparação corporal do intérprete e de uma pesquisa sobre a teatralização do movimento dançado exploraremos a passagem da narração à interpretação através do corpo. Como transmitir informações essenciais e emoções se servindo do leque de possibilidades de expressão que este corpo nos oferece.

Denise Namura, radicada na França há trinta anos, é fundadora da Cia. À Fleur de Peau, com Michael Bugdahn, que reúne bailarinos pela pesquisa de linguagens diversificadas como circo, mímica, teatro e dança. Já criaram mais de 30 espetáculos desde 1986 para a companhia À Fleur de Peau e outras como: Cisne Negro, Balé da Cidade de São Paulo, o Bernballet (Suíça), Cia. Cirka Teater (Noruega), Cia. de Danças de Diadema e a Cia. Portuguesa de Bailado Contemporâneo (Portugal).

WORKSHOP “EXPERIMENTOS NA DANÇA CONTEMPORÂNEA”

Coordenação: Eliana de Santana

22/08 a 12/09 – segundas-feiras – 13h às 16h

Público: bailarinos, atores, a partir de 16 anos

Inscrições: 08 a 17/08

Seleção: carta de interesse e currículo

20 vagas

A oficina tem por objetivo experimentar e vivenciar os procedimentos práticos e as questões teóricas que serão investigados no Projeto “Das Doçuras de Dos Prazeres” premiado com a 10ª edição do Programa Municipal de Fomento à Dança da Cidade de São Paulo (2011). Além de exercícios práticos de dança contemporânea, serão abordadas questões presentes na pesquisa tais como: O anônimo como tema e acasos na criação artística.

Intérprete-criadora, iniciou suas atividades artísticas com Antunes Filho, Gerald Thomaz, Mariana Muniz e Denilto Gomes. Dentre os últimos espetáculos, atuou em: “Tragédia Brasileira” “Francisca da Silva Oliveira – Chica da Silva – Um Esboço” e recentemente em “Onde os Começos?”.

OFICINA “APROPRIAÇÃO COREOGRÁFICA DE OBRAS DE ARTES VISUAIS”

Coordenação: Cia. Perdida (Juliana Moraes)

22/08 a 03/10 – segundas e quartas-feiras – 18h30 às 21h30

Público: bailarinos, atores, artistas visuais e performers, além de interessados com experiência em dança, a partir de 18 anos

Inscrições: 08 a 18/08

Seleção: carta de interesse e currículo resumido via email contato@companhiaperdida.com.br ou pessoalmente no local

25 vagas

A atividade tem como foco a relação entre obras de artes visuais e formas de apropriação coreográfica. O trabalho será feito a partir da análise de coreografias criadas por Juliana Moraes, Paula PI e Érica Tessarolo.

A Companhia Perdida, dirigida por Juliana Moraes, tem como criadoras-intérpretes Carolina Callegaro, Isabel Monteiro, Érica Tessarolo e Flávia Scheye. Caracteriza-se por intenso trabalho de pesquisa de vocabulário de movimentos e dramaturgia, e foi contemplada pelos 3° e 6° Editais de Fomento à Dança, para projetos de pesquisa que culminaram no espetáculo “(depois de) Antes da Queda”.

OFICINA DE DANÇA “CRIAÇÃO E MOVIMENTO”

Coordenação: Key Sawao

23/08 a 11/11 – terças e quintas-feiras – 15h30 às 17h30

Público: bailarinos, atores, a partir de 16 anos

Inscrições: 08 a 18/08

Seleção: carta de interesse e currículo resumido

25 vagas

A oficina será um ambiente de experimentação que propiciará caminhos para processos criativos através do movimento. Objetiva a concentração, os fluxos dos movimentos internos, a respiração como impulso para as dinâmicas e as qualidades do movimento, entre outras estratégias para a criação.

Key Sawao é co-diretora da “Key Zetta e Cia.” e desenvolve sua pesquisa em dança focada nas inter-relações de linguagens. Seus últimos projetos foram contemplados pelo prêmio Klauss Vianna de Dança Funarte, Petrobrás e pelo programa de Fomento à Dança de São Paulo. É integrante da Cia Tamanduá de Dança-Teatro, fundada por Takao Kusuno, introdutor do butoh no Brasil. É colaboradora de grupos como Pia Fraus e Teatro da Vertigem.

JAM SESSION DE DANÇA

…AVOA! núcleo artístico

2 a 23/09 – sextas-feiras – 19h30 às 21h30 (exceto 09/09)

16 anos

30 participantes

Retirar convites com 30 minutos de antecedência.

“Jam Sessions” consistem em sessões livres de dança, no caso, de dança contemporânea sob a perspectiva da improvisação. A atividade estimula a criação em dança em tempo real e promove intercâmbio entre os participantes do Grupo “ …Avoa! núcleo artístico” e o público.

O “…AVOA! núcleo artístico”, fundado por Luciana Bortoletto e Gil Grossi, surgiu com a proposta inicial de articular a linguagem fotográfica à dança contemporânea. Em 2007, o …AVOA! conquistou o prêmio SESI de dança; em 2010, com a obra “Urgência – A Cidade do Avesso”, o grupo foi contemplado com a Lei de Fomento à Dança – VIII Edição/2010.

OFICINA DE DANÇA CONTEMPORÂNEA: CRIAÇÃO COREOGRÁFICA

Coordenação: Tatiana Melitello

04/10 a 29/11 – terças e quintas-feiras – 19h às 21h30

Público: bailarinos, atores, a partir de 16 anos

Inscrições: 05/08 a 29/09

Seleção: carta de interesse e currículo breve

25 vagas

A oficina tem como ponto de partida a reestruturação corporal e o estudo do movimento e, para isso, se apóia em técnicas e métodos provenientes do Pilates, Lian Gong, balé, dança moderna e contemporânea. Este estudo pretende trazer o reconhecimento do próprio corpo, possibilitando a descoberta de novos repertórios de movimento.

Tatiana Melitello estudou no Estudio Nova Dança, no Henny Jurriens Stichting Foundation (Amsterdã) e formou-se em Pilates pelo CGPA. Concebeu e criou os solos de dança “A troco” , “Alvéolos”  e “Temporários Escapes” pelo PROAC. Foi interprete criadora de “Porque Nunca me tornei um Dançarino” e “Fronteiras Móveis” com o Núcleo Artérias, pelo APCA e “Ruído”, pelo Rumos Itaú.

OFICINA “O CORPO DO INTÉRPRETE”

Coordenação: Ricardo Iazzetta

18/10 a 08/12 – terças e quintas-feiras – 15h30 às 17h30

Público: bailarinos, atores, a partir de 18 anos

Inscrições: 08/08 a 13/10

Seleção: carta de interesse e currículo resumido

25 vagas

Esta oficina tem como objetivo instrumentalizar o intérprete–criador para que ele possa enriquecer  reflexão e prática em seus processos criativos, a partir de conceitos como: respiração como eixo, o início do movimento e seu caminho pelo corpo, o centro energético e gravitacional e suas ligações e potencialidades, o pulso, o repouso, entre outros.

Ricardo Iazzetta é artista da dança, criador, diretor e bailarino, formado pela “The Juilliard School of New York”, com experiência no Brasil e no exterior. Nos últimos quinze anos, vem pesquisando fundamentos da dança moderna e das artes marciais chinesas (formação em Ba kuá e chi kung com o mestre Liu Chi Ming) estabelecendo uma ponte entre a maneira oriental e ocidental de olhar e experimentar o movimento.

FOTOGRAFIA

JORNADA FOTOGRÁFICA NO BAIRRO DO BOM RETIRO

Coordenação: Ricardo Hantzschel – Cidade Invertida.

03 e 17/09 – sábados – 10h às 13h (Centro da Cultura Judaica).

10/09 – sábado – 9h30 às 13h30 (Oficina Cultural Oswald de Andrade).

Público: interessados em geral, a partir de 16 anos (é necessário trazer câmera digital).

Inscrições: 08/08 a 02/09 pelo e-mail dvaz@culturajudaica.org.br

Seleção: ordem de inscrição (primeiros inscritos).

20 vagas.

Em parceria com o Centro da Cultura Judaica e a Oficina Cultural Oswald de Andrade, e por ocasião da exposição “Bom Retiro e Luz: um roteiro, 1976-2011”, composta por fotografias de Cristiano Mascaro, Bob Wolfenson, Marlene Bérgamo e da Cia da Foto, em cartaz no Centro da Cultura Judaica até 2 de outubro, o grupo desenvolveu um workshop em três encontros nos quais estes mitológicos lugares serão re-visitados pelo olhar fotográfico dos participantes, e através de dinâmicas e exercícios específicos que incluem a fotografia digital e a técnica do pinhole. Venham passear pelo bairro e (re)descobri-lo através da linguagem da fotografia!

Cidade Invertida é um grupo formado por fotógrafos, educadores e artistas que elabora projetos culturais relacionados à fotografia. Para o desenvolvimento de suas atividades, o grupo conta com um trailer que opera como laboratório fotográfico e câmera obscura, imprimindo ao projeto um caráter itinerante. Fazem parte do grupo Ricardo Hantzschel, Paula Kirstus, Edison Angeloni, Elizabeth Lee e a assistente de laboratório Flávia Guedes.

Ricardo Hantzschel é fotógrafo há vinte anos e professor da faculdade de fotografia do Senac desde 2000. Em 2003 venceu o prêmio Porto Seguro de Fotografia “São Paulo 450 anos” com um trabalho que integra o acervo do MAM-SP. Desenvolve o projeto educacional em linguagem visual “Cidade Invertida” há dois anos, com atuação em entidades da periferia, faculdades e museus.

OFICINA DE INICIAÇÃO À FOTOGRAFIA

Coordenação: Sinval Garcia

12/09 a 09/11 – segundas e quartas-feiras – 18h30 às 21h30

Público: estudantes de artes e interessados, a partir de 18 anos

Inscrições: 08/08 a 02/09

Seleção: questionário e aula aberta (05/09 – segunda-feira, às 18h30)

20 vagas

A oficina visa dotar o aluno iniciante de suporte teórico e prático, fomentando a constituição de um repertório pessoal de cada participante, a partir do equipamento fotográfico disponível, analógico e/ou digital.

Artista Visual, formado pela USP, atua nas Oficinas Culturais e diversas instituições desde 1994. Tem participado de mostras coletivas, individuais, publicações e possui obras em acervos, tais como: MAC-GO, SESC-SP, Museu de Fotografia de Curitiba, MEP-PA e Bienal de SP.

OFICINA “INTRODUÇÃO À PRATICA E HISTÓRIA DA FOTOGRAFIA”

Coordenação: Armando Prado

27/08 a 26/11– sábados – 14h30 às 17h30 (montagem da exposição dia 30/11 – quarta-feira)

Público: fotógrafos amadores, artistas visuais e estudantes de fotografia, a partir de 18 anos, com requisito básico: possuir câmera analógica ou digital.

Inscrições: 08 a 19/08

Seleção: currículo e entrevista (20/08 – sábado, às 14h30)

20 vagas

Fundamentos básicos da fotografia: processamento fotoquímico em P/B, explanação dos conceitos da linguagem e produção fotográfica, edição e análise de imagens e história da fotografia. Ao término da oficina, cada participante desenvolverá sua expressão criativa autoral aplicando os conceitos apreendidos em uma produção fotográfica.

Armando Prado é fotógrafo e fotojornalista, tendo trabalhado nos jornais O Estado de S. Paulo, Jornal da Tarde e Folha de São Paulo. Atua como colaborador das revistas da Editora Abril, Revista Isto é e Vogue. Já expôs seu trabalho autoral em diversas mostras em Cuba, México, Estados Unidos e diferentes regiões do Brasil.

GESTÃO CULTURAL

WORKSHOP “ECONOMIA CRIATIVA E CIDADES CRIATIVAS”

Coordenação: Ana Carla Fonseca

04/08 e 28/10 – quinta e sexta-feira – 10h às 13h e 14h às 17h

Público: gestores, produtores culturais e artistas

Inscrições até 03/08

Seleção: primeiros inscritos

40 vagas

Esta atividade se propõe a: promover o entendimento do que significam economia criativa e cidades criativas, capacitando os participantes a dialogar com instituições públicas e privadas; provocar uma reflexão acerca de como essas duas abordagens podem contribuir para o desenvolvimento cultural, social e econômico de cada cidade e pólo cultural; motivar o desenvolvimento de uma política local articulada. Os participantes farão uma lição de casa que será objeto de análise numa segunda fase.

Ana Carla Fonseca é Administradora Pública pela Fundação Getulio Vargas de São Paulo. Economista, mestre em Administração e doutora em Urbanismo pela USP; assessora em economia criativa para a ONU (UNCTAD e PNUD).

PALESTRA “ECONOMIA CRIATIVA E CIDADES CRIATIVAS”

Palestrante: Ana Carla Fonseca

04/08 – quinta-feira – 18h30 às 20h

Público: gestores, produtores culturais, artistas e interessados no tema

Inscrições até 04/08

Seleção: primeiros inscritos

60 vagas

A palestra abordará os seguintes temas: conceito e importância de indústria criativa e economia criativa; cultura, economia e desenvolvimento como eixos entrelaçados; princípios básicos de governança, parceria e empreendedorismo; cidades criativas; estatísticas e casos nacionais e internacionais.

WORKSHOP “GESTÃO DE PROJETOS CÊNICOS”

Coordenação: Ana Paula Galvão

22 a 25/08 – segunda a quinta-feira – 17h30 às 21h30

Público: agentes e gestores culturais, integrantes de grupos e companhias teatrais, a partir de 18 anos

Inscrições: 08 a 16/08

Seleção: currículo breve

30 vagas

Apresentação dos conceitos de Economia da Cultura, Economia Criativa, Indústria Criativa e análise sistêmica do setor de artes cênicas, identificando o processo da cadeia produtiva nas artes cênicas. Como planejar e gerenciar projetos da idéia à concretização das propostas. Cada participante elaborará exercício prático a partir de projeto próprio com base nas ferramentas e conceitos apresentados para avaliação coletiva.

Especialista em Gestão Cultural e Organização de Eventos pelo CELACC/ECA/USP e graduada em Relações Públicas pela ECA/USP. Atualmente coordena o curso “Gestão de Projetos Cênicos na SP Escola de Teatro.

PALESTRA “UMA ABORDAGEM DO GUIA BRASILEIRO DE PRODUÇÃO CULTURAL 2010-2011”

Coordenação: Edson Natale

28/11– segunda-feira – 19h às 21h30

Público: produtores culturais, músicos, atores, gestores e agentes culturais

Inscrições: 08/08 a 28/11

Seleção: primeiros Inscritos

30 vagas

Abordagens das etapas da produção cultural, principalmente na área musical, relatando de forma resumida o conteúdo do Guia Brasileiro de Produção Cultural, publicado bienalmente desde 1994. A edição 2010-2011 do guia reúne esclarecimentos importantes sobre detalhes do direito do autor, planejamento, economia criativa, questões jurídicas internacionais e financeiras, 3º Setor, Instituições Culturais e gravadoras.

Edson Natale é músico, escritor, jornalista e gerente de música do Itaú Cultural desde março de 2001. Gravou diversos CD’s solo. Gerenciou o lançamento de CDs de artistas como Jards Macalé, Itamar Assumpção, Ceumar, Dori Caymmi, Renato Braz, Quinteto Violado, Mônica Salmaso & Paulo Bellinati, entre outros.

HQ

OFICINA DE HISTÓRIA EM QUADRINHOS

Coordenação: Sergio Morettini

23/08 a 10/11 – terças e quintas-feiras, 18h30 às 21h30

Público: estudantes de artes e interessados em geral

Inscrições: 08 a 18/08

Seleção: carta de interesse

20 vagas

A oficina abordará diversas etapas da produção de uma história em quadrinhos. Os participantes terão desempenhado funções de desenhistas, arte-finalistas, coloristas, pesquisadores e roteiristas na produção de uma revista coletiva ou individual, ao fim do processo.

Sergio Morettini é cartunista, animador, quadrinista, caricaturista e ilustrador. Já escreveu para as principais revistas do gênero e participou de produções cinematográficas e comerciais de TV. Conquistou o troféu HQ Mix na categoria melhor revista infantil brasileira com o título “Mico Leal”, entre outros prêmios.

LITERATURA

OFICINA “CRÔNICA: LITERATURA ÍNTIMA E PESSOAL”

Coordenador: André Santana

13/09 à 13/12 – terças-feiras – (aula inaugural dia 08/09, quinta-feira, aulas extras dias 13/10, quinta-feira, 16/11, quarta-feira) – 18h30 às 21h30

Público: estudantes de literatura, escritores e interessados em geral a partir de 18 anos

Inscrição: 22/08 a 08/09

Seleção: primeiros inscritos

20 vagas

Desenvolver a escrita literária através de vários exercícios, usando as linguagens dos autores analisados de várias gerações e desenvolvendo, simultaneamente, voz própria, íntima e pessoal no formato “crônica”, bem como analisar as linguagens literárias e suas influências.

Escritor, autor das seguintes obras: ”Amor”, “Sexo”, “Amor e outras histórias”, e  “Inverdades”. Atualmente, trabalha como roteirista de publicidade, cinema e televisão.

CICLO DE PALESTRAS “CRÔNICA: UM GÊNERO LITERÁRIO”

Coordenador: Humberto Werneck, Luiz Ruffato, Milton Hatoum e Nelson de Oliveira

21/09, 09, 19 e 30/11 – quarta-feira – 18h30 às 21h30

Público: participantes da oficina de crônicas e interessados em geral

Seleção: primeiros inscritos

Inscrições: de 22/08 até a data de cada encontro

40 vagas

O encontro abordará temas pertinentes ao universo da crônica literária por especialistas da área: a crônica como gênero e suas modalidades, a ficção brasileira contemporânea, entre outros tópicos.

Humberto Werneck é jornalista e escritor. É autor de “O Desatino da Rapaziada”, “O Santo Sujo”. Assina também a organização de “Minérios Domados”, a seleção de crônicas “Boa Companhia” e a reportagem biográfica incluída em “Tantas palavras”, songbook de Chico Buarque.

Luiz Ruffato é escritor e autor de dez livros, entre eles “Eles eram muitos cavalos”  (lançado também em Portugal, Itália, França e Argentina), “Estive em Lisboa e Lembrei de Você” (publicado na Itália e em Portugal e no prelo na Argentina) e o projeto “Inferno Provisório”, composto por cinco volumes, dos quais quatro já publicados, alguns lançados na França e no México.

Nelson de Oliveira é escritor e doutor em Letras pela USP. Publicou mais de vinte livros, entre eles “Poeira: demônios e maldições”, “A oficina do escritor”, “Algum lugar em parte alguma”, “A maldição do macho” e “O filho do Crucificado”. Organizou a antologia “Geração 90: manuscritos de computador” e “Geração 90: os transgressores”. Recebeu os prêmios: Fundação Biblioteca Nacional (2007), o  APCA (2001 e 2003), o  Fundação Cultural da Bahia (1996) e o Casa de las Américas (1995 e 2011).

Milton Hatoum lecionou literatura na Universidade Federal do Amazonas e na Universidade da California (Berkeley). Foi escritor residente nas universidades norte-americanas de Yale, Stanford e Berkeley. É autor dos romances “Relato de um Certo Oriente”, “Dois Irmãos”, “Cinzas do Norte”, “Órfãos do Eldorado” e  “A cidade ilhada”.

Fonte: Oficina Oswald de Andrade

Workshop gratuito com Ray Lema

Turnê Osesp Itinerante levará ciclo de atividades musicais gratuitas ao interior e grande São Paulo

No ano de 2008, a Fundação Osesp – Orquestra Sinfônica do Estado de São Paulo – ao lado do SESC-SP, e em parceria com o Governo do Estado de São Paulo por meio da Secretaria de Estado da Cultura, dava início a um de seus mais ambiciosos programas de integração, difusão, aprendizado e formação de público. A turnê Osesp Itinerante tinha como princípio tirar a Osesp de seu ambiente natural – a Sala São Paulo – e levar não só a sua música, mas também o conhecimento de seus profissionais às diversas regiões do Estado.

Em 2011, o programa entra no seu quarto ano de atividades com previsão de visitar 12 cidades: São José dos Campos, Taubaté, Guaratinguetá, Mongaguá, Registro, Mauá, Suzano, Mogi das Cruzes, Valinhos, Tatuí, Sorocaba e Santos.

Entre 27 e 30 de julho, os concertos acontecem, respectivamente, em Tatuí, Valinhos, Sorocaba e Vinhedo.

ATIVIDADES GRATUITAS
O projeto leva ao público paulista uma série de atividades musicais inteiramente gratuitas, que incluem concertos sinfônicos ao ar livre com a Osesp; oficinas de instrumentos para jovens alunos de música, ministradas pelos próprios músicos da orquestra; cursos de apreciação musical com professores especializados e diversos concertos de música de câmara e coral, também apresentados pelos profissionais que tocam e cantam na Osesp e no seu Coro.

Além de estender ao público do interior do Estado as diversas atividades realizadas pela Osesp em sua sede, o programa promove a minimização das distâncias entre o grande público e a música clássica; a aproximação de jovens músicos com o cotidiano da profissão; e a reflexão crítica sobre a história da evolução da música de concerto por meio de aulas de Apreciação Musical.

Se somarmos todos os anos desde o início do projeto, a Osesp Itinerante terá percorrido, ao final deste ano, 36 cidades (veja lista abaixo) e atendido cerca de 200 mil pessoas – entre alunos, interessados e público de concertos. Nas três primeiras edições foram mais de 406 horas de música ou de atividades que envolvam a música. Ao todo, para o ano de 2010, foram 71 eventos. Para 2011, estão programadas mais de 90 atividades.

INSCRIÇÕES
Inscrições para oficinas de instrumentos e curso de Apreciação Musical devem ser feitas no site www.osesp.art.br. As vagas são abertas oportunamente nas semanas que antecedem a visita a cada cidade.

OFICINAS
As Oficinas de Cordas, Madeiras e Metais são bate-papos com os músicos, com cerca de duas horas de duração, e que podem caminhar por diversas áreas, desde dicas de aprendizado e aperfeiçoamento, demonstrações dos instrumentos, explicações sobre as possíveis formações de câmara e execução comentada de trechos de obras.  Poderão participar das oficinas pessoas com ou sem conhecimento musical. Aos alunos de músicos, é sugerido levar seus instrumentos.

CURSO DE APRECIAÇÃO MUSICAL
Destinado igualmente ao público com ou sem conhecimento musical, é composto por três módulos de três horas cada que procuram cobrir o vasto território musical, abrangendo diversas escolas e épocas (da Antiguidade ao Expressionismo).

LISTA DE CIDADES VISITADAS EM EDIÇÕES ANTERIORES
2008: São José dos Campos, Taubaté, Sorocaba, Itapetininga, Bauru, Marília, Piracicaba, Limeira, São Carlos, Araraquara, São José do Rio Preto e Catanduva

2009: Presidente Prudente, Assis, Ourinhos, Avaré, Campinas, Jundiaí, Sto. André e São Caetano do Sul

2010: Ribeirão Preto, Araraquara, São Carlos, Barretos, Franca, Araçatuba, Guarulhos, Osasco e Santos.

Coro da Osesp

NAOMI MUNAKATA REGENTE
27/7 | QUA 20H00 – Igreja Matriz Nossa Senhora da Conceição – Tatuí
28/7 | QUI 19H30 – Paróquia São Sebastião – Valinhos
29/7 | SEX 19H00 – Catedral Metropolitana – Sorocaba
30/7 | SÁB 20H00 – Teatro Municipal Sylvia de Alencar Matheus – Vinhedo

PROGRAMAÇÃO
THOMAS WEELKES
Alleluia, I Heard a Voice

ARVO PÄRT
Da Pacem Domine

HEITOR VILLA-LOBOS
Ave Maria

ALBERTO GRAU
Pater Noster

MURILO SANTOS
Alleluia

CLEMENT JANEQUIN
La Guerre

JOHANNES BRAHMS
Im Herbst

FELIX MENDELSSOHN-BARTHOLDY
Frühzeitiger Frühling

FOLCLORE BRASILEIRO
Saia de Babado [Arranjo de Antônio Vaz]

CARLOS ALBERTO PINTO FONSECA
Bumba Meu Boi
És na Minha Vida

CATULO DA PAIXÃO CEARENSE
Flor Amorosa [arranjo de Alexandre Sanches]

PIXINGUINHA E OTÁVIO DE SOUZA
Rosa [Arranjo de Marcos Leite]

Sobre o Coro da Osesp
A combinação de um grupo de cantores com sólida formação musical com a condução de uma das principais regentes brasileiras faz do Coro da Orquestra Sinfônica do Estado de São Paulo uma referência em música vocal no Brasil. Nas apresentações junto à Osesp, em grandes obras do repertório coral-sinfônico ou em concertos a cappella na Sala São Paulo e pelo interior do Estado, o grupo aborda diferentes períodos musicais, com ênfase aos séculos XX e XXI e às criações de compositores brasileiros como Almeida Prado, Aylton Escobar, Gilberto Mendes, Francisco Mignone, Liduíno Pitombeira, João Guilherme Ripper e Heitor Villa-Lobos.

À frente do grupo, Naomi Munakata imprime personalidade artística em obras consagradas como os réquiens de Verdi e de Mozart; Missa em si menor, Oratório de Natal e as paixões de Bach; Réquiem alemão e as canções para coro e orquestra de Brahms. O grupo comprova sua qualidade em peças raramente apresentadas no Brasil como Cantata profana de Bartók, Chichester Psalms de Bernstein, Psalmus hungaricus de Kodály, Réquiem polonês e Os sete Portões de Jerusalém de Penderecki e O Festim de Baltazar de Walton.

Criado como Coro Sinfônico do Estado de São Paulo em 1994, passou a se chamar Coro da Osesp em 2001. Em 2006, uma parte do grupo, denominada Coro de Câmara da Osesp, viajou em turnê por cidades espanholas. Já em 2009 o Coro da Osesp gravou seu primeiro CD, Canções do Brasil.

Sobre a Regente
Naomi Munakata iniciou seus estudos musicais ao piano aos quatro anos de idade e começou a cantar aos sete, no coral regido por seu pai. Estudou ainda violino e harpa.

Formou-se em Composição e Regência em 1978, pela Faculdade de Música do Instituto Musical de São Paulo, na classe de Roberto Schnorrenberg. A vocação para a regência começou a ser trabalhada em 1973, com maestros como Eleazar de Carvalho, Hugh Ross, Sérgio Magnani e John Neschling. Anos depois, essa opção lhe valeria o prêmio de Melhor Regente Coral, pela Associação Paulista dos Críticos de Arte do Brasil. Estudou ainda regência, análise e contraponto com Hans Joachim Koellreutter. Como bolsista da Fundação VITAE, foi para a Suécia estudar com o maestro Eric Ericson. Em 1986, recebeu do governo japonês uma bolsa de estudos para aperfeiçoar-se em regência na Universidade de Tóquio. Foi regente assistente do Coral Paulistano e lecionou na Faculdade Santa Marcelina e na Faam. Atualmente, acumula as funções de diretora da Escola Municipal de Música de São Paulo, diretora artística e regente do Coral Jovem do Estado e coordenadora e regente dos coros Sinfônico e de Câmara da Osesp.

Fonte: Secretaria de Estado da Cultura

Dentro de uma Master Class: Respirem, Pontuem e Esqueçam do Led Zepplin

por Erik Piepenburg para The New York Times
tradução Mariana Paes

Na peça “Master Class”, de Terrance McNally, a estrela da ópera Maria Callas (interpretada por Tyne Caly) entende que pedagogia deve ser como limpar o chão com as ambições dos alunos.

“Tentar não é bom o bastante”, Callas repreende. “Faça”.

Uma exigente professora-dragão talvez possa funcionar para fins de entretenimento dramático, mas a atmosfera de uma master class não é sempre tão cheia de “calos” quanto Callas. Felizmente para os aspirantes a estrelas de teatro musical de Nova Iorque, não é raro que grandes nomes da Broadway os encoragem. Tudo isso em 10 minutos de aprendizado oferecidos à cantores que não se importam em parecerem bobos na frente de estranhos.

Na semana passada, o ator Raúl Esparza ministrou um curso de uma noite, como parte de uma nova série de master class de teatro musical organizada pelo BroadwaySpace.com, uma mídia social para fãs de teatro, criada pelo produtor Ken Davenport. A experiência de Esparza em musicais da Broadway inclui a remontagem de “Company” (2006), e, em 2011, uma apresentação na montagem American Songbook, no Lincoln Center.

“Você pode aprender a cantar com técnica”, explicou Esparza antes de iniciar a aula. “Mas isso não significa que você saiba atuar”.

O professor disse que sua abordagem não deveria se chocar com o talento dos alunos, mas “para tentar fazer com que alguém saia da aula melhor do que quando entrou”.

“Há muito envolvido quando tentamos ensinar alguém a cantar rapidamente através de uma música”, ele disse. “Espero que isso os leve a um ponto onde tenham uma ou duas novas habilidades que possam ser úteis futuramente”.

Vestido casualmente – jeans, camisa e sandálias -, Esparza parecia alguém que se apressou rapidamente para não perder a aula, e não um respeitado profissional indicado quatro vez ao Tony Award. Assim ele iniciou a aula, ao lado de seu pianista e diretor musical Mary-Mitchell Campbell, em frente a aproximadamente 60 pessoas. Enquanto cada um se apresentava, o professor andava pela sala, ouvindo atentamente. Suas reações eram educadas, mesmo sendo pontuais.

“Para quem você está cantando?”, perguntou no meio da canção de um dos alunos.

“Pense no sorriso”, sugeriu a uma mulher que sorria muito amplamente.

“Preste atenção nas divisões e na respiração”, disse a outro aluno.

Seu conselho para testes e audições? “Led Zepplin não vai funcionar”.

O desempenho das performances feitas ao final de uma breve interação com Esparza foram, em alguns casos, versões muito melhores do que as inicialmente apresentadas pelos cantores.

“Me apresentar e ser criticado por ele foi assustador, então eu tive de fazer”, disse Elyse Beyer, que cantou“Another Hundred People”, do musical “Company”. “Obtive ótimos feedbacks, algumas boas histórias, e devo dizer que não deixei o medo tomar conta de mim”.

Master classes são oportunidades de curtos mas intensivos treinamentos, diferentes dos cursos regulares de atuação, que podem levar semanas ou meses. A atriz Betty Buckley, que ministrará um workshop de quatro dias a partir de segunda-feira, considera a master class mais uma atualização do que uma “salvação”.

“Todos os grandes atletas tem seus instrutores/ professores particulares”, disse Buckley, vencedora de um Tony Award por sua performance em “Cats”. “Sem as observações de alguém de fora, você acaba desenvolvendo vícios. Seu professor particular ou instrutor por ajudá-lo a manter-se em boa forma”.

Muitas master classes são abertas ao públicos, não exigindo que os alunos tenham algum tipo de treinamento anterior. Os participantes podem escolher entre receber instruções individuais em frente à classe ou simplesmente observar. Geralmente há uma taxa de inscrição, e os valores podem variar, de acordo com a duração das aulas e o currículo do professor. (Nas aulas de Raúl Esparza, os participantes pagaram $ 250 e os ouvintes $ 30; A aula de Buckley custou $ 625 para participantes e R$ 400 para ouvintes). A professora veterana Barbara Cook é conhecida por sempre ministrar master classes.

Na peça “Master Class” os personagens são cantores de ópera formados na Julliard. Mas os alunos da master class de Esparza não eram assim. Uma das alunas, Ann Kirschner – que apresentou uma canção de “The Sound of Music” (A Noviça Rebelde) – disse: “Eu achei que faria papel de boba. Todos esses ingênuos estão iniciando suas carreiras e eu tenho 63 anos.  Mas acho que nunca somos velhos demais para novos conhecimentos”.

Outro aluno, Drew Fornarola, disse que optou por ser ouvinte da aula de Esparza para aprimorar seus conhecimentos como compositor.

“É ótimo para um escritor poder aprender mais sobre os atores e seus processos”, disse Fornarola. “Quanto mais compreendo sobre eles, melhor posso escrever para eles”.

Esparza disse que gosta de ensinar, mesmo que não se sinta uma autoridade, desconsiderando o que seus alunos podem imaginar sobre ele.

“Eu gosto de pessoas dispostas a admitir que nada sabem, e podemos descobrir as coisas juntos”, disse o professor.

Para sugestões de especialistas:

BETTY BUCKLEY – Segunda à Quinta, 6:30 to 11 p.m., Shetler Studios, 244 West 54th Street, Manhattan; (212) 777-7603, jbactors.com; $625 para participantes; $400 para ouvintes.

MARC KUDISCH – 29 de Agosto, 6:30 to 10:30 p.m., Davenport Studio, 250 West 49th Street, Suite 302, Manhattan; broadwayspace.com/masterclass; $199 para participantes; $40 para ouvintes.

Fonte: The New York Times

Entradas Mais Antigas Anteriores

Blog Stats

  • 167.125 hits