Homenagem a Jimi Hendrix reúne Andreas Kisser e Edgard Scandurra

Em homenagem aos 70 anos de Jimi Hendrix, que seriam completados em novembro de 2012, Andreas Kisser, Edgard Scandurra, Lanny Gordin, Martin, Pitty e Hélio Flanders se apresentam no show Hendrix 70, nos dias 1º, 2 e 3 de fevereiro, no Teatro do Sesc Vila Mariana.

O show irá apresentar releituras de alguns sucessos do guitarrista como “Foxy Lady”, “Purple Haze”, “Hey Joe”, “Red House” e “Vodoo Child”.

Os músicos convidados serão acompanhados pela banda formada por Du Moreira, Loco Sosa e Estevan Sinkovitz.

Considerado um dos maiores guitarristas de todos os tempos, Jimi Hendrix revolucionou o modo de tocar guitarra e influenciou uma geração de músicos.

Serviço
Hendrix 70
Quando: 1º, 2 e 3 de fevereiro; sexta e sábado, às 21h, e domingo, às 18h
Onde: Sesc Vila Mariana – Rua Pelotas, 141, Vila Mariana
Quanto: R$ 40 (inteira); R$ 20 (usuário inscrito no SESC e dependentes, +60 anos, estudantes e professores da rede pública de ensino); R$ 10 (trabalhador no comércio de bens, serviços e turismo matriculado no Sesc e dependentes)
Vendas: pelo sistema INGRESSOSESC a partir de 25/1, às 14h
Bilheteria: de terça a sexta, das 9 às 21h30, sábado das 10 às 21h30, domingo e feriado das 10 às 18h30 (ingressos à venda em todas as unidades do SESC). Aceitam-se todos os cartões
Não recomendado para menores de 12 anos
Estacionamento: R$ 3 a primeira hora + R$ 1 a hora adicional (matriculados no Sesc). R$ 6 a primeira hora + R$ 2 a hora adicional (não matriculados). 200 vagas
Capacidade: 608 lugares
Duração: 90 minutos
Mais informações: (11) 5080 3000 ou 0800 118220

Fonte: UOL

Anunciados os horários dos shows do Lollapalooza Brasil 2013

A segunda edição brasileira do Lollapalooza, que será realizada entre os dias 29 e 31 de março, no Jockey Club, anunciou nesta segunda-feira, 21, os horários dos shows das mais de 60 atrações.

As apresentações serão espalhadas por cinco palcos, mas ainda não foram anunciados os artistas que se apresentarão no Kidzapalooza, um local dedicado especialmente para as crianças.

A edição do ano passado, com dois dias, foi encerrada por shows de Foo Fighters, no primeiro, e Arctic Monkeys, no segundo. Desta vez, com um dia a mais, cada dia de festival será encerrado por The Killers, Black Keys e Pearl Jam, respectivamente.

O primeiro lote de ingressos, com 14 mil passaportes que garantiam a entrada nos três dias de show por R$ 900, se esgotou em poucas horas. Ainda há entradas avulsas para todos os dias, no valor de R$ 330 cada.

Veja abaixo os dias, horários e palcos do Lolla 2013:

Sexta-feira, 29 de março
Palco Alternativo
Tokyo Savannah – 13h15 – 14h15
Copacabana Clube – 15h15 – 16h15
Crystal Castles – 17h15 – 18h15
Passion Pit – 20h – 21h15

Palco Butantã
Holger – 13h15 – 14h15
Of Monsters And Men – 15h15 – 16h15
Cake – 17h15 – 18h30
Deadmau5 – 20h – 21h30

Palco Perry
Bruno Barudi – 12h30 – 13h30
Boss In Drama – 13h45 – 14h45
Dirtyloud – 15h – 16h
Feed Me – 16h15 – 17h15
Porter Robinson – 17h30 – 18h45
Red Bull Technostalgia Feat. Dj Marky & Bid – 19h – 20h15
Knife Party – 21h30 – 23h00

Palco Cidade Jardim
Perrosky – 12h30 – 13h15
Agridoce – 14h15 – 15h15
The Temper Trap – 16h15 – 17h15
The Flaming Lips – 18h30 – 20h
The Killers – 21h30 – 23h

Sábado, 30 De Março
Palco Alternativo
Ludov – 13h30 – 14h30
Gary Clark, Jr. – 15h – 16h30
Alabama Shakes – 17h30 – 18h30
Criolo – 20h – 21h15

Palco Butantã
Graforréia Xilarmônica – 13h30 – 14h30
Tomahawk – 15h30 – 16h30
Franz Ferdinand – 17h30 – 18h45
A Perfect Circle 20h – 21h30

Palco Perry
Classic – 13h – 14h
William Naraine – 14h15 – 15h15
Lennox 15h30 – 16h45
Zeds Dead – 17h – 18h15
Nas – 18h30 – 19h30
Madeon – 20h – 21h
Steve Aoki – 21h30 – 23h

Palco Cidade Jardim
Stop Play Moon – 12h30 – 13h30
Toro Y Moi – 14h30 – 15h30
Two Door Cinema Club – 16h30 -17h30
Queens Of The Stone Age – 18h45 – 20h
The Black Keys – 21h30 – 23h

Domingo, 21 De Março
Palco Alternativo
Wannabe Jalva – 13h15 – 14h15
República – 15h15 – 16h15
Vanguart – 17h15 – 18h15
Hot Chip – 19h15 – 20h30

Palco Butantã
Vivendo Do Ócio 13h15 – 14h15
Foals – 15h15 – 16h15
Kaiser Chiefs – 17h15 – 18h15
Planet Hemp 19h15 – 20h45

Palco Perry
Wehbba- 12h45 – 13h45
Database – 14h – 15h
Mix Hell – 15h15 – 16h30
Gui Boratto – 16h45 – 18h
Rusko – 18h15 – 19h30
Major Lazer – 19h45 – 21h
Kaskade – 21h30 – 23h

Palco Cidade Jardim
Baia – 12h30 – 13h15
Lirinha + Eddie – 14h15 – 15h15
Puscifer – 16h15 – 17h15
The Hives – 18h15 – 19h15
Pearl Jam – 20h45 – 23h

Fonte: Rolling Stone Brasil

Com maior oferta de shows gringos no Brasil, 2012 viu alta de ingressos e tropeços de festivais

por José Norberto Flesch

A festa acabou. A farra da lotação nos grandes shows em estádios e arenas no Brasil concluiu seu ciclo no primeiro semestre de 2012 com as apresentações de Roger Waters e sua “The Wall – Live”. A partir daí, palcos como o do estádio Morumbi se tornaram um templo do medo para artistas e produtores. E assim começou a fase dos ingressos encalhados, que mexeu com o mercado nacional e vai gerar mudanças em 2013.

Na semana passada, quando Madonna se despediu do Brasil com um show em Porto Alegre de sua “MDNA Tour”, ficou claro que o mercado mudou. Se em 2008 os ingressos para três shows da cantora no Morumbi esgotaram-se em poucas horas, desta vez foi um desespero levar público suficiente para o lugar. Não faltaram promoções com entradas a preços convidativos –tipo de ação que já havia acontecido para promover a turnê de Lady Gaga por aqui em novembro.

A situação tornou-se assunto indigesto no setor. Time For Fun, XYZ e Geo –as três maiores produtoras de São Paulo– não quiseram falar com a reportagem. A primeira trouxe as “encalhadas” Lady Gaga e Madonna; a segunda arriscou a vinda de Jennifer Lopez e a viu cantar para público muito abaixo do esperado. A Geo é a que mais acertou ao comprar os direitos de realizar o Lollapalooza no Brasil: o festival entupiu o Jockey Club na primeira noite com Foo Fighters, e já programou a segunda edição para março de 2013, com Pearl Jam e The Killers.

Junto com as três produtoras, a Planmusic –que bancou Paul McCartney e Tears For Fears no país– pretende criar associações para controlar a meia-entrada, tida como a grande vilã dos negócios e principal responsável pela alta dos ingressos. A ideia é reduzir a porcentagem de ingressos com desconto em cada evento, que, segundo empresários do setor, chega a 90% em determinados shows.

Cachê inflacionado e ingressos caros
A situação é delicada para produtores do país inteiro. “Foi um ano atípico. Uma grande quantidade de shows, principalmente no segundo semestre, aliada a alta dos ingressos, resultou em uma retração”, acredita Cássio Lopes, sócio da Hits, produtora de Porto Alegre que levou Roger Waters, Bob Dylan e Kiss à capital gaúcha. “O custo do show está alto demais. A locação dos espaços, por exemplo, ficou mais cara. Repassamos o preço para o consumidor, como acontece com qualquer outro produto. Se sobe o preço da farinha, aumenta o preço do pão”, compara o empresário.

Carlos Konrath, diretor da também gaúcha Opus Promoções e que cuida do Teatro Bradesco em São Paulo, aponta mais razões para o atual cenário. “A redução de vendas no mercado fonográfico obrigou os artistas a saírem em turnê. Com a crise na Europa e Estados Unidos, a América Latina surgiu como um grande mercado, até então pouco explorado, mas a disputa das produtoras para trazer determinados artistas acabou inflacionando os espetáculos”, comenta ele, lembrando que o público não conseguiu acompanhar o ‘boom’ de oferta.

Os produtores concordam que a mudança terá que começar pela baixa no preço dos ingressos. “O setor do entretenimento deve repensar suas estratégias, e não necessariamente em relação ao número de shows, mas aos valores repassados ao público. Buscar mais patrocínio de empresas parceiras pode ajudar na redução dos preços”, acredita Konrath.

Lopes também reclama do estado de guerra em que as produtoras entraram para trazer os artistas. “O leilão inflaciona o cachê e isso também rebate no preço do ingressos”, avisa. Ele sugere o que chama de concorrência saudável. “Tem que saber quanto vale o artista e não pagar algo fora da realidade”.

Gladston Tedesco, sócio-proprietário do Grupo Tom Brasil, de São Paulo, relaciona mais motivos para os valores dos ingressos. “São altos os impostos –Ecad, ISS, PIS, Cofins, IR–, o preço da logística com passagens aéreas, transporte e hotelaria, e, é claro, o número de meias-entradas, que é o principal problema e encarece o preço final”. Para baixar os preços dos bilhetes, ele propõe: “Começar pela diminuição tributária fiscal já seria uma boa ideia, que viabilizaria ingressos mais acessíveis para todos”.

Dos tropeços às previsões
O ano de 2012 teve a maior oferta de shows internacionais já vista no Brasil. No total, foram 459 artistas estrangeiros no país, segundo levantamento do jornal “Folha de S. Paulo”. Com a quantidade de opção também vieram grandes tropeços.

O principal foi o festival SWU, que, depois de duas edições anuais no interior de São Paulo, não conseguiu ser realizado em 2012. Outro foi o Metal Open Air, que aconteceu aos trancos e barrancos no Maranhão até ser cancelado no meio de sua realização. Para piorar, nesta semana surgiram boatos de que o festival Planeta Terra seria extinto. Os organizadores desmentiram e garantiram a edição de 2013, mas todos estes são casos que podem influenciar negativamente no mercado.

“Para o próximo ano, esses cancelamentos podem afetar a visão dos produtores e artistas internacionais sobre o Brasil. Possivelmente eles se sintam mais inseguros em trazer grandes shows para o nosso país”, diz Carlos Konrath. “Ficamos tristes quando isso acontece, porque diminui a credibilidade do país para produções internacionais”, acrescenta Gladston Tedesco, do Tom Brasil.

Para Cássio Lopes, “foram casos isolados”. E parecem ter sido mesmo, quando, por outro lado, observa-se que muitas operações foram vitoriosas. O melhor exemplo é o violinista suíço André Rieu, que veio ao Brasil pelas mãos da Poladian Produções e fez 30 apresentações em São Paulo, no ginásio do Ibirapuera. Cerca de 200 mil pessoas compraram ingresso para ver o músico –mais do que conseguiram juntas, na cidade, Madonna e Lady Gaga.

Outros artistas de peso médio, como Robert Plant, Creed e Scorpions, esgotaram antecipadamente os ingressos para seus shows em São Paulo. Até mesmo o espetáculo “Elvis in Concert”, com a presença do Rei do rock em um telão, teve todos as entradas vendidas e obrigou a realização de apresentações extras.

Uma coisa parece certa: quem gosta de shows internacionais não tem com o que se preocupar. O calendário musical já será alimentado pelo Lollapalooza, em março; a já definida volta de Elton John, de 27 de fevereiro a 8 de março; e a nova edição do Rock In Rio no segundo semestre. “Não é por que alguns shows não deram certo em 2012 que em 2013 o mercado vai parar”, avisa Lopes.

Cantor Elton John fará três shows no Brasil em 2013

Elton John fará três shows no Brasil entre fevereiro e março de 2013, informou nesta quarta-feira (5) a XYZ Live, produtora responsável pela vinda do cantor ao País. A performance do artista poderá ser assistida em São Paulo, no dia 27 de fevereiro, no Jockey Club; em Porto Alegre, dia 5 de março, no estádio Zequinha; e em Brasília, dia 8 de março, no Centro de Convenções Internacional.

Os ingressos para as apresentações começam a ser vendidos a partir de 8 de dezembro para os shows de São Paulo e Brasília, e dia 10 de dezembro para o show de Porto Alegre. A compra pode ser feita pelo http://www.livepass.com.br (para os shows de São Paulo e Porto Alegre) e pelo http://www.ingressorapido.com.br (para Brasília). Os valores vão de R$ 180 a R$ 1.000,00.

Fonte: Terra

Ex-integrantes do Scorpions vão tocar no Brasil

O Scorpions ainda não marcou sua volta ao Brasil, mas um show reunindo ex-integrantes do grupo já está certo para maio, no país. Os guitarristas Michael Schenker e Uli Jon Roth, o baixista Francis Buccholz e o baterista Herman Rarebell vão se apresentar juntos, em locais a definir.

Apenas o vocalista não será um ex-Scorpions, já que o cantor Klaus Meine está na banda até hoje. Quem cuidará dos vocais é Doogie White, que tem excursionado com Schenker.

Michael tocou no Scorpions quando o grupo estava no início da carreira. Participou do primeiro disco, “Lonesome Crew”, de 1972, e pulou fora. Foi substituído por Uli Jon Roth. Voltou como convidado no álbum “Lovedrive”, de 1979, quando Roth já havia saído.

Buccholz deixou a banda alemã em 1992, três anos antes de Rarebell abandonar a formação. Schenker e Roth mantêm até hoje carreira solo cultuada entre os fãs do Scorpions e de hard rock em geral. Michael veio duas vezes ao Brasil. Estreou nos palcos do país em 2009 e voltou dois anos depois.

White é escocês, e, além da banda de Michael Schenker, cantou no Rainbow, extinto grupo do guitarrista Ritchie Blackmore (ex-Deep Purple), e no Rising Force, do guitarrista Yngwie Malmsteen.

Fonte: Kiss FM

Rolling Stones fazem show para 20 mil fãs em Londres

Londres – Os Rolling Stones levaram ao delírio cerca de 20 mil fãs neste domingo em Londres, em um show que marcou a volta da banda aos palcos após cinco anos de ausência.

Os Stones, cujos componentes beiram os 70 anos, conseguiram abarrotar o pavilhão O2 Arena de Londres no começo da miniturnê “50 And Counting” que os levará em dezembro a Nova York e que criou uma enorme expectativa ao coincidir com o 50º aniversário da banda.

Devido a tão importante comemoração, a noite começou com um vídeo que incluía os testemunhos de alguns de seus fãs como Elton John, Nick Cave, Pete Townshend e Iggy Pop.

Os fãs que foram à capital britânica vindos de todas as partes do mundo puderam ver mais uma vez no palco – que tinha uma enorme passarela circular e dominado por grandes lábios que mudavam de cor – Mick Jagger, Ronnie Wood, Keith Richards e Charlie Watts, acompanhados de maneira excepcional por Bill Wyman e Mick Taylor.

A presença destes dois ex-integrantes da banda deu à noite um caráter excepcional, já que foi a primeira vez em duas décadas que tocaram juntos em um show todos seus membros.

Mas a noite, que muitos consideravam como o acontecimento musical do ano, também teve surpresas e a “suas satânicas majestades” se uniu no espetacular palco a cantora americana de R&B Mary J.Blige e juntos interpretaram “Gimme Shelter”.

Também participou da grande festa um velho conhecido do grupo, o lendário guitarrista britânico Jeff Beck, que os acompanhou com “I’m Going Down”.

No espetáculo os Stones começaram com “Wanna Be Your Man” e repassaram seus grandes clássicos como “(I Can’t Get No) Satisfaction”, “Sympathy For the Devil” e “Start Me Up”, enchendo o pavilhão do mais puro rock durante duas horas e meia.

Além disso, a banda tocou o material novo incluindo “GRRR!:, “Doom And Gloom” e “One More Shot”.

Apesar da enorme expectativa e as poucas datas programadas os organizadores não conseguiram vender todas as entradas e horas antes do show algumas páginas da internet ainda ofereciam ingressos.

No entanto, os Stones, que este ano completaram 50 anos de carreira, voltaram a demonstrar em Londres para um público de todas as idades e completamente entregue que são roqueiros incansáveis.

Fonte: UOL Música

Coldplay anuncia dois shows no Brasil em fevereiro

A banda Coldplay anunciou dois shows no Brasil em fevereiro de 2013. Em São Paulo, a apresentação será em 5/2, no estádio do Morumbi. Em Porto Alegre, os fãs poderão curtir o grupo em 7/2, no estádio Zequinha.

A venda de ingressos começa à 0h do dia 21 de novembro, pelo site http://www.ticketsforfun.com.br.

Os shows fazem parte da turnê do disco “Mylo Xyloto”. Formado em 1996, o grupo Coldplay já vendeu mais de 55 milhões de cópias de seus álbuns em todo o mundo.

Fonte: Guia Folha

Muse e Alice in Chains são anunciados no Rock in Rio

O festival Rock In Rio confirmou, em seu site oficial, as bandas Muse e Alice In Chains como headliners da edição 2013. Os dois se apresentam no Palco Mundo, sendo que o Alice In Chains toca no dia 19 de setembro, mesma noite que o Metallica. A data do Muse ainda não foi confirmada.

Tanto Alice In Chains quanto o Muse estiveram recentemente no Brasil. Os norte-americanos se apresentaram na edição 2011 do SWU, realizada em Paulínia, interior de São Paulo, em novembro. Já o Muse veio em abril do mesmo ano, abrindo os shows do U2 em São Paulo.

A quinta edição brasileira do Rock In Rio acontece nos dias 13, 14, 15, 19, 20, 21 e 22 de setembro do ano que vem. Entre as atrações já confirmadasestão Bruce Springsteen, Iron Maiden, Metallica e Ben Harper. Comprovando seu sucesso entre os brasileiros, o festival vendeu os 80 mil Rock In Rio Cards disponibilizados no dia 30 de outubro em apenas 52 minutos.

Fonte: Terra

Aerosmith faz show em frente ao prédio onde integrantes da banda moraram em Boston

Milhares de fãs encheram uma rua de Boston, nesta segunda-feira (5), para assistir a um show do Aerosmith em frente ao prédio onde os integrantes da banda moraram.

As pessoas se penduraram nas janelas, encheram escadas de incêndio e ocuparam os tetos das construções na Commonwealth Avenue para assistir a uma apresentação destinada a estimular o voto e promover o novo álbum da banda, que será lançado na terça, dia em que os americanos vão às urnas para eleger seu presidente.

A banda tocou “Walk this Way”, ”Sweet Emotion” e algumas faixas do novo álbum, “Music from Another Dimension!”.

O quarterback do New England Patriots e marido de Gisele Bündchen, Tom Brady, subiu ao palco depois que a banda chegou em um veículo anfíbio.

A estudante da Universidade de Boston Becca Emmetts, que mora no antigo prédio do Aerosmith, mandou um amigo para a aula de física com uma mensagem explicando seu atraso: “O Aerosmith estava tocando em frente ao meu prédio”.

Angela Menino, mulher do prefeito de Boston, Thomas Menino, presenteou os integrantes da banda com placas de rua comemorando o seu antigo endereço. Outra placa, que será afixada na fachada do prédio, diz que Steven Tyler, Joe Perry, Brad Whitford, Joey kramer e Tom Hamilton viveram no segundo andar nos anos 1970, e que foi lá que os “Bad Boys of Boston” começaram sua carreira no rock.
O Aerosmith encerrou o show atirando confetes vermelhos, brancos e azuis sobre o público. Mais tarde, os integrantes da banca também gravaram suas mãos em quadros de cimento fresco, que a cidade planeja colocar na frente do velho endereço dos roqueiros.

Fonte: Uol Música

Rolling Stones revelam possível repertório dos quatro shows comemorativos

Os Rolling Stones deram uma pequena dica do que pode ser o roteiro para os históricos shows que comemoram os 50 anos da banda, marcados para novembro, em Londres, e dezembro, em Nova Jersey.

Foi publicada uma foto no Twitter oficial da banda com uma lista de 23 músicas escritas numa folha de papel. O número é maior do que quando a banda se reuniu para shows pela última vez, quando executou 19 faixas, na mesma O2 Arena, na Inglaterra, em 2007.

A lista traz os grandes sucessos e hits praticamente imprescindíveis em um show dos Stones, como “Honky Tonk Woman”, “Start Me Up”, “Wild Horses”, “You Can’t Always Get What You Want” e “Paint It Black”.

A banda, até a última segunda, 15, mantinha mistério sobre uma possível reunião para comemorar as cinco décadas de grupo. Apenas quatro shows foram anunciados (dois em cada cidade), mas o guitarrista Keith Richards já indicou que novas datas devem ser anunciadas.

“Eu não ficaria surpreso”, disse o guitarrista à BBC, quando questionado se haveria a possibilidade de mais apresentações. “Ninguém falou isso ainda, mas não acho que essa banda vai fazer tudo isso só para quatro shows. Eu acho que eles vão querer fazer algo no fim do ano, acho que também no início do próximo.”

Veja a foto aqui e leia abaixo a lista publicada pela banda:

“She’s So Cold”
“You Got Me Rocking”
“All Down The Line”
“Respectable”
“Tumbling Dice”
“Honky Tonk Woman”
“Beast Of Burden”
“Wild Horses”
“You Can’t Always Get What You Want”
“It’s All Over Now”
“Lady Jane”
“Route 66”
“Little Red Rooster”
“Miss You”
“Not Fade Away”
“She’s So Cold”
“Start Me Up”
“Sweet Virginia”
“Worried About You”
“Paint It Black”
“The Last Time”
“Ruby Tuesday”
“Midnight Rambler”

Fonte: Rolling Stone Brasil

Entradas Mais Antigas Anteriores

Blog Stats

  • 166.741 hits