Funarte lança edital do Prêmio de Música Brasileira

A Fundação Nacional de Artes (Funarte) lançou edital para o Prêmio Funarte de Música Brasileira, com abrangência nacional.

Pessoas físicas (produtores e artistas) ou jurídicas (instituições privadas, com ou sem fins lucrativos, de natureza artística e/ou cultural) poderão participar, inscrevendo-se até o dia 4 de outubro.

Serão selecionados projetos de composição, arranjos, shows, discos, vídeos, sites, publicações, pesquisas, seminários, debates e cursos, entre outras ações. As propostas podem ser relacionadas à criação, produção, distribuição e circulação de música.

O programa terá R$ 3,397 milhões disponibilizados pelo Fundo Nacional de Cultura. Os prêmios serão de R$ 30 mil a R$ 200 mil.

Clique aqui para mais informações.

*Com informações do site da Funarte

Fonte: Cultura e Mercado

Anúncios

Funarte anuncia destinação de R$ 161 milhões para as artes

A Fundação Nacional das Artes (Funarte) anunciou a destinação de R$ 161,7 milhões para projetos nas áreas de circo, dança e teatro, artes visuais, música e artes integradas, em cerimônia realizada no Rio de Janeiro nesta quinta-feira (2/8). Segundo o presidente da Funarte, Antonio Grassi, o orçamento é 60% maior em relação ao ano passado.

Entre as ações estão prêmios, concessão de bolsas, cursos de capacitação artística e técnica e programas internacionais. Compareceram ao lançamento do Programa de Fomento às Artes a ministra da Cultura, Ana de Hollanda; o diretor Domingos de Oliveira; as atrizes Maria Pompeu e Aracy Cardoso; e o deputado federal, Antônio Roberto Soares (PV/MG), que integra a Comissão de Educação e Cultura da Câmara dos Deputados.

Do total de recursos, cerca de R$ 9,4 milhões serão destinados às ações internacionais. Um dos destaques é a realização do Ano Brasil Portugal, que começa no dia 7 de setembro e termina em 10 de junho de 2013.

Nos próximos dias, segundo Grassi, será lançada a página na internet que receberá inscrições de projetos. O Brasil também será representado, na Bienal de Arquitetura de Veneza, em agosto, com uma exposição da obra de Lucio Costa.

Para o circo, dança e teatro, serão destinados R$ 43,6 milhões. O Prêmio Myriam Muniz – uma das principais ações de estímulo à produção teatral no país – receberá R$ 12 milhões. Também serão lançadas novas edições do Prêmio Klauss Vianna de Dança e do Prêmio Carequinha de Estímulo ao Circo, cada um com investimento de R$ 6 milhões.

A mostra A Gosto de Nelson, em cartaz até 31 de agosto, nos Teatros Dulcina e Glauce Rocha, no Rio, é outro destaque. Em comemoração ao centenário de nascimento do dramaturgo, grupos de onze estados brasileiros encenam as 17 peças de autoria do dramaturgo. Também está previsto o mapeamento da dança e do circo, que permitirá não só conhecer a realidade de cada área, mas adequar essa realidade às políticas e ações propostas para esses setores.

Para a área da música serão repassados R$ 18,8 milhões. Os recursos serão aplicados em painéis, prêmios, concessão de bolsas, além do apoio a festivais, feiras e bandas. Entre as novidades estão o Prêmio Funarte de Música Brasileira e o Prêmio Funarte de Circulação de Música Erudita, que serão lançados em breve.

As artes visuais terão R$12,5 milhões para o lançamento de editais como Rede Nacional de Artes Visuais, Prêmio Marcantonio Vilaça e Prêmio Funarte Marc Ferrez de Fotografia, além de oficinas, bolsas e ocupação das galerias da Funarte em cinco capitais.

Para as artes integradas serão destinados R$ 33,8 milhões para preservação e difusão do acervo, publicação de livros e concessão de bolsas. Realizadas pela Funarte, em conjunto com a Fundação Biblioteca Nacional, as Bolsas de Criação e de Circulação Literária tiveram o prazo de inscrições, que terminaria no dia 2 de agosto, prorrogado por mais uma semana, segundo Grassi. O Programa Mais Cultura – Microprojetos Rio São Francisco, que conta com orçamento de R$ 16 milhões, contemplou 1050 projetos, a serem executados.

O presidente da Funarte destacou, ainda, a restauração e reequipamento do Teatro Brasileiro de Comédia – TBC, em São Paulo, com término previsto para 2013, e da Aldeia de Arcozelo, em Paty do Alferes (RJ).

*Com informações do site da Funarte

Fonte: Cultura e Mercado

Ibermúsicas abre inscrições para a seleção de projetos musicais

O Ibermusicas, Programa de Fomento das músicas Ibero-Americanas, está convidando interessados a participarem da seleção de projetos. As inscrições vão até o próximo dia 27 no site da Funarte (http://www.funarte.gov.br).

O objetivo do projeto é apoiar a criação musical e a produção de obras de artistas ibero-americanos. No site, há os requisitos para os projetos participantes e, uma vez adequados, poderão ser enviados somente por correios para Fundação Nacional de Artes – Funarte – Rua da Imprensa, 16/ sala 1308, Centro – Rio de Janeiro, RJ.

Fonte: Backstage

Funarte lança editais de ocupação artística

A Fundação Nacional das Artes (Funarte) abriu inscrições para a ocupação de salas de espetáculo no segundo semestre de 2012. Artistas, cooperativas, companhias de dança e circos do país têm até o dia 16 de agosto para apresentar projetos.

Ao todo serão disponibilizadas nove salas em quatro estados diferentes. No Rio de Janeiro (RJ) participam do edital o Teatro Cacilda Becker, o Teatro Dulcina, o Glauce Rocha e o Teatro Duse. Em São Paulo (SP), o Teatro de Arena Eugênio Kusnet, a Sala Carlos Miranda e a Sala Renée Gumiel estarão à disposição.

Em Brasília (DF), o teatro Plínio Marcos, e em Belo Horizonte (MG), o Galpão 3 da Funarte, serão disponibilizados para a ocupação artística.

Companhias ou grupos que não possuem CNPJ podem ser representadas por associações ou cooperativas, desde que sejam associados a elas.

Além das salas, serão destinados R$ 5 milhões provenientes do Fundo Nacional de Cultura (FNC) para a execução das iniciativas selecionadas.

Somente serão aceitas inscrições enviadas pelo correio. Os projetos deverão ser encaminhados conforme as recomendações que constam no texto dos editais publicados no site da Funarte.

*Com informações do site do MinC

Fonte: Cultura e Mercado

Funarte abre editais para ocupação de teatro, dança e circo

A Fundação Nacional de Artes (Funarte), através de seu Centro de Artes Cênicas (Ceacen), abriu processos seletivos para projetos de ocupação de suas salas destinadas a teatro, dança e circo.

Os editais, publicados na edição do dia 2 de janeiro de 2012 do Diário Oficial da União, são destinados  aos teatros Dulcina, Cacilda Becker, Duse e Glauce Rocha, no Rio de Janeiro; às salas Carlos Miranda e Renée Gumiel e ao Teatro de Arena Eugênio Kusnet, em São Paulo, ao Galpão 3 da Funarte Belo Horizonte (MG) e ao Teatro Plínio Marcos, em Brasília. Será contemplado um projeto em cada edital. O prazo de inscrições vai até 16 de fevereiro.

Companhias, grupos e empresas de todo o Brasil podem enviar à Funarte suas propostas de programação para os espaços. Os nove projetos contemplados receberão aportes financeiros para a sua viabilização. As propostas selecionadas ocuparão as salas de abril a agosto de 2012 (exceção para os teatros Dulcina e Glauce Rocha, no Rio de Janeiro, cuja ocupação será de abril a julho).

A análise dos projetos caberá a comissões convidadas. Elas vão considerar, como diretrizes de avaliação, a excelência artística da proposta e sua viabilidade prática, além da qualificação dos profissionais envolvidos.

O total de recursos destinados ao programa é de R$ 3,834 milhões, sendo R$ 3,75 milhões para a viabilização dos projetos e R$ 84 mil para despesas administrativas.

Sobre os editais

Teatro Cacilda Becker (RJ) – Um proponente será contemplado para ocupar o espaço com atividades de dança.
Período de ocupação: de abril a agosto de 2012, de quarta-feira a domingo
Valor destinado ao projeto vencedor: R$ 400 mil
Leia mais e acesse o edital

Teatro Glauce Rocha (RJ) – Um projeto será contemplado para ocupar o espaço com espetáculos de teatro adulto, teatro para a infância e juventude e outras ações relacionadas à atividade teatral.
Período de ocupação: de abril a julho de 2012, de quarta-feira a domingo
Valor destinado ao projeto vencedor: R$ 500 mil
Leia mais e acesse o edital

Teatro Dulcina (RJ) – Um projeto será contemplado para ocupar o espaço com espetáculos de teatro adulto, teatro para a infância e juventude, dança e circo e outras atividades relacionadas às artes cênicas.
Período de ocupação: de abril a julho de 2012, de quarta-feira a domingo
Valor destinado ao projeto vencedor: R$ 600 mil
Leia mais e acesse o edital

Teatro Duse (RJ) – Um projeto será contemplado para ocupar o espaço com espetáculos de teatro de bonecos e outras atividades relacionadas a marionetes.
Período de ocupação: de abril a agosto de 2012, de quarta-feira a domingo
Valor destinado ao projeto vencedor: R$ 150 mil
Leia mais e acesse o edital

Sala Renée Gumiel (SP) – Um projeto será contemplado para ocupar o espaço com espetáculos de dança e outras atividades relacionadas a essa arte.
Período de ocupação: de abril a agosto de 2012, de quarta-feira a domingo
Valor destinado ao projeto vencedor: R$ 400 mil
Leia mais e acesse o edital

Sala Carlos Miranda (SP) – Um projeto será contemplado para ocupar o espaço com espetáculos de teatro adulto, ou teatro para a infância e juventude, ou outras ações relacionadas à atividade teatral.
Período de ocupação: de abril a agosto de 2012, de quarta-feira a domingo
Valor destinado ao projeto vencedor: R$ 400 mil
Leia mais e acesse o edital

Teatro de Arena Eugênio Kusnet (SP) – Um projeto será contemplado para ocupar o espaço com espetáculos de teatro adulto, teatro para a infância e juventude, e outras atividades relacionadas ao teatro.
Período de ocupação: de abril a agosto de 2012, de quarta-feira a domingo
Valor destinado ao projeto vencedor: R$ 400 mil
Leia mais e acesse o edital

Teatro Plínio Marcos (DF) – Um projeto será contemplado para ocupar o espaço com espetáculos de teatro adulto, teatro para a infância e juventude, dança e circo e outras atividades relacionadas às artes cênicas.
Período de ocupação: de abril a agosto de 2012, de quarta-feira a domingo
Valor destinado ao projeto vencedor: R$ 500 mil
Leia mais e acesse o edital

Galpão 3 da Funarte (MG) – Um projeto será contemplado para ocupar o espaço com espetáculos de teatro adulto e teatro para a infância e juventude, dança e circo e outras atividades relacionadas às artes cênicas.
Período de ocupação: de abril a agosto de 2012 (exceto no período de 11 a 24 de junho), de quinta-feira a domingo
Valor destinado ao projeto vencedor: R$ 400 mil
Leia mais e acesse o edital

*Com informações do site da Funarte

Fonte: Cultura e Mercado

Exposição brasileira, ganhadora do maior prêmio da cenografia mundial, na Funarte SP

Inédita no Brasil, a exposição “Personagens e Fronteiras: Território Cenográfico Brasileiro” será aberta no dia 13 de dezembro, com entrada franca, na sede da Funarte São Paulo (dia 12 de dezembro, às 19h, haverá a abertura oficial da mostra), pelo presidente da Fundação Nacional de Artes, Antonio Grassi. Elaborada para participar da Mostra de Países e Regiões da 12ª Quadrienal de Praga – Design e Espaço da Performance 2011 (PQ’11), a coletiva de trabalhos de artistas nacionais foi a grande vencedora da Triga de Ouro do maior evento evento mundial de cenografia.

O prêmio foi concedido por um júri internacional formado por reconhecidos profissionais do teatro contemporâneo, como o teórico em Teatro e Performance Marvin Carlson , a cenógrafa e designer estoniana Monika Pormale, a iluminadora israelense Felice Ross, a diretora do festival de Teatro de Santiago, Carmem Romero e o diretor, dramaturgo, cenógrafo e figurinista da África do Sul, ganhador da Medalha de Ouro na PQ’07 e presidente deste júri, Brett Bailey – para citar alguns. A exibição, realizada em junho deste ano, reuniu mostras de 62 países.

A representação brasileira teve curadoria geral de Antonio Grassi e a autoria do tema da Mostra Nacional é dos cenógrafos Aby Cohen e Ronald Teixeira. Na premiação, recebeu a seguinte avaliação do júri: ‘A exposição brasileira na PQ oferece visões e sentido de diversidade de um espectro cenográfico e os tipos de performances criadas no Brasil. A exposição apresenta com o mesmo peso, arte de rua, intervenções em site specific, performances com engajamento social, teatro de animação e formas convencionais de teatro.’

Para Antonio Grassi, presidente da Funarte e curador geral para o Brasil na Quadrienal, a Triga de Ouro é um reconhecimento internacional ao talento dos profissionais brasileiros na arte cenográfica. “Este prêmio valoriza ainda mais o artista brasileiro, que mostrou sua expertise na área de cenografia em trabalhos nas diversas linguagens artísticas e que concorreram com importantes nomes do teatro mundial.”

Para a curadora adjunta Aby Cohen, “A mostra nacional brasileira já se anunciava como um sucesso de público (na PQ´11). Acredito que a exposição pelo seu conteúdo e forma de apresentação, na qual se equilibravam e dialogavam os trabalhos expostos, arrebatou o público por memórias individuais que os levavam a uma experiência emotiva, mais do que apenas visual ou de conceito.”

Outro prêmio recebido pelo Brasil na 12ª Quadrienal de Praga foi o de Melhor Realização de uma Produção conferido ao trabalho ‘BR-3’, do Teatro da Vertigem, apresentado na Mostra Nacional e estará também na montagem de São Paulo, no espaço expositivo da Funarte.

 

Composição da mostra

A exposição reúne trabalhos de reconhecidos cenógrafos e figurinistas nacionais expostos em diferentes suportes – instalações, vídeos, croquis, objetos, fotografias. Em um espaço expositivo comum, apresentado como uma grande instalação, interagem as produções artísticas da cenografia teatral, das artes visuais e da cultura popular e revelam o homem brasileiro, segundo a própria curadoria. Estão organizados em quatro blocos (Memória, Lugares, Ação e Transposição) que dialogam entre si:

Memória

• encenação ‘As Centenárias` (Cenografia: Fernando Mello da Costa e Rostand Albuquerque/ Figurino: Samuel Abrantes);

• encenação ‘Memória da Cana’, da Cia Os Fofos Encenam (Cenografia: Marcelo Andrade e Newton Moreno);

• encenação ‘A farsa da boa preguiça’ (Cenografia: Ney Madeira/ Figurino: Rodrigo Cohen);

• encenação ‘A chegada de Lampião no inferno’, da Cia PeQuod Teatro de Animação (Cenógrafo: Carlos Alberto Nunes/ Figurino: Daniele Geammal/ Diretor Artístico: Miguel Vellinho);

• cenário-instalação ‘Sonhos para vestir’ (Cenografia: Analu Prestes);

• solo de dança contemporânea para crianças ‘Fábulas dançadas de Leonardo da Vinci’ (Cenografia: Doris Rollemberg/ Figurino: Mauro Leite);

• foto-pinturas ‘Retratos pintados’ (Artistas anônimos);

• minissérie televisiva ‘Hoje é dia de Maria’ (Cenografia: João Irênio/ Direção de Arte: Lia Renha/ Figurino: Luciana Buarque).

Lugares

• encenação ‘BR-3’ (Diretor Artístico: Antonio Araújo/ Criação Artística: Teatro da Vertigem);

• encenação ‘O santo guerreiro e o herói desajustado’ (Diretores de Arte: Julio Dojcsar, Sato, Silvana Marcondes/ Criação Artística: Cia São Jorge de Variedades);

• encenação ‘Arrufos’ (Diretor de Arte: Renato Bolelli Rebouças/ Criação Artística: Grupo XIX de Teatro);

• encenação ‘O perfeito cozinheiro das almas deste mundo’ (Diretor de Arte e Figurinista: Flávio Graff); a intervenção teatral Projeto Barafonda (Criação Artística: Cia São Jorge de Variedades).

Ação

• encenação ‘Projeto Coleções’ (Artistas plásticos: Guga Ferraz, Marta Jourdan, Pedro Bernardes, Raul Mourão/ Diretora Artística: Valéria Martins – Intrépida Trupe);

• encenação ‘Exercício nº 2 : formas breves ’ (Cenógrafas: Bia Lessa e Camila Toledo);

• encenação ‘Mistério-Bufo’ (Cenografia: Sérgio Marimba);

• performance ‘Vale 1 Real’ (Figurinista: Cris Bierrenbach);

• intervenção urbana ‘Enquadro’ (Criação artística: Coletivo Casadalapa).

 

Transposição

• duas obras da série de portas pintadas pelos grafiteiros OSGEMEOS, utilizadas como cenografia (Artistas plásticos: OSGEMEOS);

• encenação em miniatura ‘Romeu e Julieta’ (Artista plástico e performer: Hélio Leite);

• cenografia do grupo ‘Clowns de Shakespeare’ (Criação Artística: Clowns de Shakespeare/ Figurino e direção: Gabriel Villela);

• intervenção teatral do grupo de performance ‘Caixa de Imagens’;

• videoarte e projeção ‘Coletivo Laborg’, a obra ‘Lux’ (Artista plástico: Jorge Fonseca).

 

Figurinos Radicais

Em paralelo à ‘Personagens e Fronteiras: Território Cenográfico Brasileiro’ serão exibidos os figurinos brasileiros escolhidos pela curadoria internacional para a exposição ‘Figurinos Radicais’. A mostra traz uma reflexão sobre modos não convencionais de trabalhar o figurino em cena, com experimentações de materiais. A curadora adjunta Rosane Muniz, salienta que “muitas vezes restringido por fronteiras de tempo e/ou recursos, o figurinista brasileiro se reinventa constantemente. Experiências com materiais inusitados já são feitas por aqui há muitos anos e nossa produção recebeu destaque na PQ’11, sendo o país com o maior número de trajes selecionados”.

Para compor ‘Figurinos Radicais’, trajes criados para as seguintes obras:

• espetáculo de dança ‘PFDSRFI’ (Figurino: Karin Serafin e Hedra Rockenbach);

• pesquisa cênica ‘A menina e o outono’ (Direção, cenografia e figurino: Leo Fressato);

• pesquisa cênica ‘Cena para um figurino I’ (Figurino e criação artística: Desirée Bastos);

• performance ‘Mulher e homem refluxo’ (Figurino: Marina Reis).

A realização das exposições ‘Personagens e Fronteiras: Território Cenográfico Brasileiro’ e ‘Figurinos Radicais’ é da Funarte.————————-

Visitação do público: 13 de dezembro de 2011 a 4 de março de 2012
Abertura oficial: 12 de dezembro, às 19h
Horário de funcionamento: de segunda a segunda, das 14hs às 22hs

Local: Funarte São Paulo (Rua Alameda Nothmann, 1058, bairro Santa Cecília)
São Paulo (SP)

Fonte: Funarte

Funarte SP oferece oficinas de capacitação em dança e teatro

Você está em: Página Inicial › Funarte › Todas as notíciasFunarte SP oferece oficinas de capacitação em dança e teatro

Funarte SP oferece oficinas de capacitação em dança e teatro

Atividades são gratuitas e integram o Programa de Capacitação Artística e Técnica em Artes Cênicas, que realiza este ano 136 oficinas em várias regiões do país

Publicado em 11 de novembro de 2011 Imprimir Aumentar fonte

A Fundação Nacional de Artes (Funarte) está com inscrições abertas para seis oficinas de capacitação artística e técnica em dança e teatro na cidade de São Paulo.
As aulas são gratuitas e fazem parte do Programa de Capacitação Artística e Técnica em Artes Cênicas, viabilizado por meio do Centro Técnico de Artes Cênicas (CTAC) e das Coordenações de Circo, Dança e Teatro do Centro de Artes Cênicas da Funarte.
Ao todo, o Programa realiza este ano 136 oficinas, distribuídas não apenas pelas sedes regionais da Funarte em Minas Gerais, Brasília e São Paulo, mas também por intermédio de instituições parceiras. Todos os estados da Região Nordeste serão contemplados, ainda em 2011, com uma oficina de capacitação da Funarte, que desta forma estende a regiões mais distantes do território nacional suas atividades de capacitação e de formação.
As oficinas de São Paulo já estão começando, mas ainda há vagas para todas as atividades. Veja, abaixo, quais são elas e como se inscrever.

Oficinas do Programa de Capacitação Artística e Técnica em Artes Cênicas
Complexo Cultural Funarte São Paulo. Alameda Nothmann, 1.058, Campos Elíseos. Tel (11) 3662-5177
Gratuitas

Oficina: Criação em encenação teatral
De 29 de novembro a 20 de dezembro | Terças a sextas, das 19h às 22h*

*Dia 20 de dezembro, das 18h30 às 22h30
Com: Amauri Falsetti
Duração: 40 horas
Público-alvo: artistas e estudantes de teatro
Inscrições: oficinasfunartesp@gmail.com (enviar telefone de contato, um breve currículo e carta de interesse com no máximo dez linhas). Indicar no campo “Assunto” a oficina desejada
Vagas: 25 a 30
A atividade irá transmitir a artistas e estudantes de teatro técnicas do elemento criativo nas artes cênicas desenvolvidas nas últimas décadas. Além disso, busca mostrar a importância e a evolução do universo das técnicas de criação para construção de um espetáculo de teatro na sua totalidade.
Sobre Amauri Falsetti: fundador e diretor da Cia Paidéia de Teatro, trabalha há 28 anos com jovens em atividades teatrais. Realizou trabalhos em Frankfurt, a convite da Central de Teatro Jovem da Alemanha, e ministrou workshop para o Projeto Auf dem Weg em Herne (Alemanha) e Borgonha (França). Há 13 anos dirige espetáculos com os alunos da Escola Waldorf Rudolf Steiner e da Escola Waldorf de São Paulo, além de coordenar todos os cursos oferecidos para jovens na Paidéia. Recebeu, em 2009, os prêmios APCA e FEMSA de melhor autor para o Teatro Infantil, com o espetáculo “Com o Rei na Barriga”. Em 2010, foi indicado para as mesmas categorias, com o espetáculo “Na Arca às Oito”.

Oficina: Teatro no século XXI – a criação teatral/políticas públicas e privadas
16, 22, 23, 28, 29 e 30 | Segunda, terças e quartas 19h30 às 22h30

Com: Pedro Pires
Duração: 40 horas
Público-alvo: artistas e produtores culturais
Vagas: 25 a 30
Inscrições: oficinasfunartesp@gmail.com (enviar telefone de contato, um breve currículo e carta de interesse com no máximo dez linhas). Indicar no campo “Assunto” a oficina desejada
A oficina pretende fazer uma leitura do panorama do teatro de grupo de que se estabeleceu em São Paulo na última década, a partir de duas bases: o desenvolvimento artístico e estético dos coletivos teatrais; e o desenvolvimento das políticas de financiamento da pesquisa e produção teatral.
Sobre Pedro Pires: formado pela École Internationale de Théâtre Jacques Lecoq (Paris, França), e em Administração de Empresas pela Fundação Getúlio Vargas (São Paulo), é diretor, dramaturgo e ator da Companhia do Feijão desde 1998, e professor do Teatro Escola Célia Helena desde 2211.

Oficina: Dançando entre Brasil e África
De 8 de novembro a 20 de dezembro | Terças e quintas, das 10h às 12h30

Com: Baby Amorim
Duração: 30 horas
Público-alvo: interessados em dança africana e brasileira
Inscrições: oficinasfunartesp@gmail.com (enviar telefone de contato, um breve currículo e carta de interesse com no máximo dez linhas). Indicar no campo “Assunto” a oficina desejada
Vagas: 25
O objetivo da oficina é transmitir a noção de ritmo através da interacão dos participantes com a música e introduzir movimentos e gestos básicos que caracterizam a Dança Africana e as Danças Brasileiras.
Sobre Baby Amorim: Cleib Aparecida Cupertino é bailarina. Iniciou seus estudos de dança em 1976 na escola Tuca Ballet, onde participou dos cursos de Ballet Clássico e Moderno. Concluiu o curso de Ballet Clássico na Academia de Dança Joshey Leão, onde também atuou como professora até 1992.
Foi aluna de Fanta Konatê de 2006 a 2009, no curso de danças da Guiné do Instituto África Viva. Em 2010 fez aulas com o bailarino guineano Bangali Konatê. Desde 2010 ministra aulas de dança afro na associação Ilú Obá De Min Educação, Cultura e Arte Negra. Desde 2003 trabalha na área musical, tendo integrado o Grupo Afro Oriashé em 2003. É percussionista e produtora da Banda Ilú Obá De Min e do Bloco Afro Ilú Obá De Min.

Oficina: Objetos cênicos. Máscaras e adereços no fazer teatral
De 12 de novembro a 3 de dezembro | Sábados, das 14 às 19h

Com: Heloisa Vilaboim Cardoso
Duração: 20 horas
Público-alvo: alunos de teatro, cenógrafos, aderecistas, profissionais da área, pessoas interessadas em artes cênicas, diretores, professores de artes cênicas
Inscrições: oficinasfunartesp@gmail.com (enviar telefone de contato, um breve currículo e carta de interesse com no máximo dez linhas). Indicar no campo “Assunto” a oficina desejada
Vagas: 40
A atividade tem como proposta capacitar e formar os participantes nos fazeres e especificidades da criação de objetos cênicos, máscaras e adereços, além de ilustrar sua utilização em espetáculos de artes cênicas teatrais, de dança e performance.
Sobre Heloísa Cardoso (Helô Cardoso): artista plástica, seu trabalho é frequentemente direcionado ao teatro. Começou sua atividade profissional em 1973, confeccionando objetos e elaborando projetos tridimensionais : Paper House, Art Editora, Zoomp, Studio In, Famiglia Mancini, Suzano Papel e Celulose entre outros. Fez cursos de máscaras com Donato Sartori (Itália), Enrico Bonavera ( Itália), David Greaves (Inglaterra), Aude Kater e workshops com mascareiros internacionais no evento “Masks of Transformation” (Illinois, EUA). Desde 1983 participa de montagens teatrais como aderecista, mascareira, cenógrafa e figurinista.

Oficina: Direção técnica teatral
De 16 a 21 de novembro | Quarta, quinta, sexta e segunda, das 13h às 18h

Com: Cássio Castelan
Duração: 20 horas
Público-alvo: alunos de teatro, cenógrafos, aderecistas, iluminadores, sonoplastas, profissionais da área, pessoas interessadas em artes cênicas, diretores, professores de artes cênicas.
Inscrições: oficinasfunartesp@gmail.com (enviar telefone de contato, um breve currículo e carta de interesse com no máximo dez linhas). Indicar no campo “Assunto” a oficina desejada
Vagas: 40
Esta oficina tem por objetivo capacitar e formar os participantes nos fazeres e especificidades da criação de um espetáculo cênico, através da compreensão das diversas linguagens que integram a arte teatral como a iluminação, a cenografia, o figurino, adereços e interpretação na construção de um espetáculo cênico.
Sobre Cássio Castelan: ator, diretor, iluminador e professor de teatro, artista orientador de teatro do Programa Vocacional da Secretaria Municipal de Cultura de São Paulo. Orientando grupos no CEU. Vila Curuçá (2010/2011) e coordenador de Programa Social na Fundação Criança de São Bernardo do Campo. Foi gerente de Cultura do município de Ribeirão Pires (2004) e professor de interpretação do Teatro na Escola Célia Helena. Em 2010, foi co-diretor de “Geração 80”, de Adélia Nicolete, em montagem realizada no Parque Escola de Santo André, pelo Teatro da Transpiração.

Oficina: Entre nós: Stanislavski
De 1 a 12 de dezembro | De segunda a sábado, das 19h às 23h

Com: Ruy Celso Machado Cortez Filho
Duração: 40 horas
Público-alvo: profissionais, amadores, estudantes e interessados em artes cênicas
Inscrições: oficinasfunartesp@gmail.com (enviar telefone de contato, um breve currículo e carta de interesse com no máximo dez linhas). Indicar no campo “Assunto” a oficina desejada
Vagas: ilimitadas
Esta oficina pretende apresentar, por meio das palestras e debates, múltiplas faces da herança artística do ator, diretor, pedagogo e teórico teatral Konstantin Stanislavski. Busca também resgatar a atualidade dos princípios estéticos e éticos do sistema de Stanislavski para o teatro contemporâneo.
Sobre Ruy Cortez: formado pela Escola de Comunicações e Artes da Universidade de São Paulo (ECA-USP), com habilitação em Direção Teatral, foi diretor de peças consagradas pelo público paulista como, mais recentemente, “Nomes do pai” – dramaturgia de Luís Alberto de Abreu, “Hilda Hilst – O espírito da coisa” – dramaturgia de Gaspar Guimarães para textos de Hilda Hilst e “Rosa de vidro” – dramaturgia de João Fábio Cabral livremente inspirado na vida e obra de Tenessee Williams.

Oficina: Trilha sonora nas artes cênicas
De 5 a 14 de dezembro | segundas e quartas, das 14h às 19h

Com: Luciano Sallun
Duração: 20 horas
Público-alvo:alunos de teatro, músicos, profissionais da área, pessoas interessadas em artes cênicas, diretores, professores de artes cênicas.
Inscrições: oficinasfunartesp@gmail.com (enviar telefone de contato, um breve currículo e carta de interesse com no máximo dez linhas). Indicar no campo “Assunto” a oficina desejada
Vagas: 40
O objetivo da oficina “Trilha sonora nas artes cênicas” é capacitar os participantes nos fazeres e especificidades da criação de trilhas sonoras para espetáculos de artes cênicas teatrais, de dança e performance.
Sobre Luciano Sallun: O paulista Luciano Sallun, 32, vem explorando a união entre o acústico e eletrônico no world music e na música experimental contemporânea. Musicoterapeuta, compositor, produtor e DJ, pesquisa instrumentos de diversas partes do mundo, como o sitar, o alaúde e o samissen, presentes na cultura indiana, árabe e japonesa, respectivamente. Além disso, agrega às suas performances instrumentos musicais de criação própria, como meio de buscar timbres inexplorados. Entre suas invenções está o armesk, feito com uma lata de biscoitos e com um cabo de vassoura. Produz os beats e efeitos das faixas do grupo Pedra Branca, para o qual também realiza a concepção artística.

Fonte: Funarte

MinC apresenta programa Usinas Culturais

por Glaucia Lira, Ascom/ MinC

A primeira reunião de dirigentes do Ministério da Cultura com representantes de prefeituras municipais para apresentação do Programa Usinas Culturais aconteceu na manhã desta terça-feira (25), em Brasília, no Complexo Cultural da Fundação Nacional de Artes (Funarte), vinculada ao MinC. Dos 135 municípios brasileiros situados em áreas de alta vulnerabilidade social, que serão atendidos pelo programa nos próximos anos, 28 foram representados no encontro promovido pelo MinC.

Segundo o secretário-executivo do Ministério da Cultura, Vitor Ortiz, que apresentou uma parte do programa, os resultados da reunião foram bem positivos. “Foi importante ver que as prefeituras estão abertas a esse tipo de proposta, que as pessoas estão dispostas a se comprometer com as metas de direito e de cidadania que o governo federal está propondo com esse programa”, ressaltou. Segundo ele, “é importante aproveitar os pouco mais de 60 dias que ainda restam de 2011 para consolidar o programa que, com certeza, dará grandes resultados”. De acordo com Ortiz, o programa é a contribuição da Cultura para as questões de direito e de cidadania.

Valorização da juventude negra

Os eixos temáticos para o desenvolvimento do programa delimitam-se no campo cultural e estão voltados à valorização da juventude negra, à promoção da autonomia das mulheres e ao valor ambiental, reunindo ações de educação e reciclagem. O combate à violência por meio de políticas públicas de fortalecimento dos valores da cidadania e da diversidade cultural e o incentivo ao crescimento da economia criativa são alguns dos objetivos do Usinas Culturais.

Para o secretário-executivo da Secretaria de Políticas de Promoção da Igualdade Racial da Presidência da República (Seppir), Mário Lisboa Teodoro, hoje, no Brasil, ser jovem e negro é muito perigoso. “Queremos dar cidadania a esse grupo e as oficinas culturais serão muito importantes nesse sentido”, frisou. Atualmente,  cerca de 50% dos homicídios contra jovens são cometidos justamente nesses 135 municípios que serão beneficiados com o programa, conforme o Mapa da Violência no Brasil 2011.

Presenças

Além dos secretários-executivos do MinC e da Seppir, fizeram parte da mesa da cerimônia a secretária-executiva do Fórum de Direitos e Cidadania da Presidência da República, Larissa Beltramim; a secretária de Cidadania Cultural do MinC, Márcia Rollemberg; e o diretor de Infraestrutura Cultural do Ministério da Cultura, Cid Blanco, que também apresentou ao público uma parte do Programa Usinas Culturais.

Também participaram da reunião o secretário de Articulação Institucional do MinC, Roberto Peixe, o representante regional do Rio de Janeiro, André Diniz, o secretário de Cultura do Governo do Distrito Federal, Hamilton Pereira, e os representantes de 28 prefeituras – a maioria secretários de Cultura -, dentre elas, a de Cuiabá (MT), Campo Grande (MS), Recife (PE), Porto Velho (RO), Porto Alegre (RS), São Paulo (SP), Feira de Santana (BA), Caruaru (PE), Vila Velha (ES), Osasco (SP), Formosa (GO) e Juazeiro (BA). Os prefeitos de Petrolina (PE), Julio Lossio, de Rio Verde (GO), Juraci Martin Oliveira, e o deputado federal Heuler Cruvinel também estiveram presentes.

Duas etapas

Para participar do programa, cada prefeitura precisará se habilitar para ter uma Usina Cultural. O MinC, na época oportuna, divulgará a abertura do processo de habilitação das propostas. Nessa etapa inicial,  a prefeitura terá que preencher uma série de requisitos, indicar um lugar, um espaço, que poderá ser uma construção que esteja paralisada, um prédio que precisa de reformas e, a partir daí, haverá a adequação dos espaços públicos,  a aquisição de equipamentos culturais e as ações de mobilização social, de forma a se levantar as lideranças locais.  Na segunda etapa do programa, ocorrerão as ações de usinagem, voltadas à fruição, criação, articulação, formação, economia criativa, cultura digital e uma série de outras.

A secretária-executiva do Fórum de Direitos e Cidadania, Larissa Beltramim, parabenizou o Ministério da Cultura pelo trabalho e ressaltou que é importante identificar as ações que poderão ser implementadas ainda no ano de 2011.

Fonte: MinC

Funarte promove, de 10 a 19 deste mês, a 19ª edição do evento que apresenta 74 obras inéditas

A 19ª Bienal de Música Brasileira Contemporânea abriu hoje, segunda-feira (10), às 19h, no Teatro João Caetano, no Rio de Janeiro. O evento é promovido pela Fundação Nacional de Artes (Funarte), vinculada ao Ministério da Cultura, e é uma oportunidade para a troca de experiências entre músicos de todo o país.

Um destaque desta edição será a execução de 74 obras inéditas, das quais 59 foram selecionadas no concurso Funarte de Composição 2010 – com prêmios entre R$ 8 mil e R$ 30 mil – e mais 15 peças também encomendadas pela Funarte, destacando-se autores como Jorge Antunes, Edino Krieger, Tim Rescala, Guilherme Bauer e vários outros.

A Bienal 2011 homenageia o compositor e pianista Almeida Prado (1943-2010), um dos talentos surgidos nas primeiras bienais. Além do Teatro João Caetano, também receberão a programação a Sala Funarte Sidney Miller e o Salão Leopoldo Miguez, da Escola de Música da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ). O preço do ingresso é R$ 2.

A 19ª Bienal de Música Brasileira Contemporânea realizada de 10 a 19 de outubro, período em que serão apresentados 11 concertos, com trabalhos recebidos de sete estados brasileiros e também do exterior.

O horário das apresentações é sempre 19h, com exceção do domingo, dia 16, quando também haverá concerto às 16h.

Para a realização da Bienal, a Funarte conta com a parceria da Fundação de Artes do Estado do Rio de Janeiro (Funarj)/ Secretaria de Estado de Cultura; e UFRJ.

Leia mais

Veja a programação completa

Fonte: MinC

MinC divulga habilitação à categoria C do Edital de Estímulo ao Circo, à Dança e ao Teatro

O Ministério da Cultura, por meio da Secretaria de Fomento e Incentivo à Cultura (Sefic) e da Fundação Nacional de Artes (Funarte), divulga hoje (27) a lista dos habilitados e inabilitados da categoria C (Substituição de Lona Circense e/ou Acessórios) do Edital Procultura de Estímulo ao Circo, à Dança e ao Teatro.

A ação tem a finalidade de aprimorar, desenvolver e consolidar as linguagens de circo, dança e teatro a partir da ampliação de sua capacidade de produção, difusão, circulação e estruturação.

Lista de Habilitados – Categoria C
Lista de Inabilitados – Categoria C

De acordo com o item 7.7 do Edital, os inabilitados têm até o próximo dia 4 outubro para interposição de recursos, mas que, por conta da greve dos Correios, deverão encaminhar o formulário para o endereço eletrônico: circo.funarte@gmail.com.

Formulário de Recurso
Edital

A lista dos habilitados e inabilitados nas categorias Produção Artística (A) e Programação de Espaços Cênicos (B) deste edital foi divulgada no dia 16 de setembro, assim como o resultado da fase de habilitação de outros quatro editais Procultura: Prêmio Palcos Musicais Permanentes; Prêmio de Apoio a Festivais e Mostras de Música; Prêmio de Estímulo às Artes Visuais; e Prêmio de Apoio à Banda de Música.

Clique aqui e confira os demais resultados e também as novas informações inseridas em decorrência da greve dos Correios.

Mais informações:
– Atendimento ao Proponente: (61) 2024.2082 e Fale com a Cultura.

Fonte: Ministério da Cultura

Entradas Mais Antigas Anteriores

Blog Stats

  • 155,535 hits