Mostra sobre Miles Davis destaca paixões e vícios da lenda do jazz

por Flávia Martin

Registrar o legado de qualquer músico em uma exposição pode parecer uma tarefa abstrata. Acontece que Miles Davis (1926-1991) não era qualquer músico. Além de ser um dos maiores nomes do jazz no século 20, também expandiu sua força criativa para as artes plásticas e para o esporte.

Assim, a mostra “Queremos Miles!”, no Sesc Pinheiros (zona oeste de São Paulo), a partir desta quarta-feira (19), reúne desde partituras originais, trompetes usados por ele e outros instrumentos dos músicos que o acompanharam até telas de sua autoria e registros da incursão pelo boxe –seu esporte favorito, que fez as vezes de terapia contra a heroína, nos anos 1950.

Elaborada pelo instituto francês Cité de la Musique e com curadoria de Vincent Bessières, a exposição que passou pelo CCBB do Rio de Janeiro faz uma cronologia da carreira do músico, incluindo parcerias com Charlie Parker, John Coltrane e Herbie Hancock.

Não deixa de fora, ainda, passagens de sua vida pessoal, como episódios da luta contra o racismo e o gosto pelos carros, pelas mulheres e pelas drogas.

Fonte: Guia Folha

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Blog Stats

  • 167.723 hits
%d blogueiros gostam disto: