Álbuns clássicos do rock brasileiro dos anos 80 fazem 25 anos

por Paulo Medeiros

1986 foi um ano fundamental para o rock brasileiro e isso pode ser visto pela quantidade de discos importantes lançados naquele ano. RPM, Titãs, Legião Urbana, Paralamas do Sucesso e outras bandas soltaram trabalhos que hoje são clássicos. Veja a lista:

Rádio Pirata Ao Vivo (RPM) Em 1986 o RPM explodiu em popularidade e sua turnê já era um grande sucesso. A banda tocava em seus shows a música “London London”, cover de Caetano Veloso e a canção foi parar nas rádios de forma pirata. Isso fez com que a banda lançasse um disco ao vivo para incluir a canção. Esse álbum sucedeu seu disco de estreia – Revoluções Por Minuto – e é até hoje um dos mais vendidos do rock brasileiro. Mais de 2,5 milhões de cópias. Além de faixas já conhecidas, este ao vivo trouxe ainda as inéditas “Alvorada Voraz”, “Naja”, a já citada “London, London” e a cover de “Flores Astrais”, dos Secos & Molhados.

Dois (Legião Urbana)
Com este seu segundo disco a banda de Renato Russo conquistou definitivamente o Brasil. O álbum tem hits históricos como “Eduardo e Mônica”, “Tempo Perdido”, “Índios” e “Quase Sem Querer”.

Capital Inicial (Capital Inicial)
Assim como o Legião Urbana, o Capital Inicial também veio de Brasília e já neste primeiro disco emplacou alguns sucessos como “Música Urbana”, “Veraneio Vascaína” e “Fátima”. A banda continua na ativa até hoje e – caso raro – conseguiu renovar seu público.

Declare Guerra (Barão Vermelho)
Esse álbum não tem nenhum grande hit do Barão Vermelho e nem foi um sucesso de vendas. Sua importância está no fato de ser o primeiro da banda sem a presença de Cazuza, que saiu para ter sua carreira solo. Assim, Frejat assumiu os vocais e o Barão seguiu em frente. A partir daqui – e com os discos seguintes – o Barão conseguiu se firmar mesmo sem seu vocalista original.

Cabeça Dinossauro (Titãs)
Em 1986, os Titãs já eram bem conhecidos mas com este terceiro disco conseguiram mostrar de vez o tipo de som que faziam. Cabeça Dinossauro é um disco pesado, com muito rock cheio de letras muito diferentes de tudo o que se fazia na época. É deste álbum que saíram hits como “Cabeça Dinossauro”, “AA UU”, “Polícia”, “Bichos Escrotos”, “Homem Pimata” e “O Quê”.

Selvagem? (Paralamas do Sucesso)
Este disco já foi considerado como o mais importante do rock brasileiro. Ele vem cheio de misturas de ritmos e mostra a coesão e a criatividade que os Paralamas tinham na época. Herbert Vianna e seus companheiros produziram canções fundamentais como “Alagados”, “A Novidade” e “Melô do Marinheiro”.

O Rock Errou (Lobão)
Em seu terceiro disco Lobão mostra porque era um dos caras mais “perigosos” do rock brasileiro. Com letras ácidas e som pesado, o cantor colocou nas rádios do Brasil sucessos como “O Rock Errou” e “Canos Silenciosos”.

Vivendo e Não Aprendendo (Ira)
O terceiro disco do Ira é considerado até hoje o seu melhor. A banda que tinha Nazi e Edgard Scandurra ficou famosa por fazer um rock tipicamente paulista com canções como “Envelheço na Cidade”, “Dias de Luta”, “Vitrine Viva”, “Pobre Paulista”, entre outras.

Pânico em SP (Inocentes)
Esse é um dos discos (na verdade um EP, com apenas seis canções) mais importantes do rock brasileiro por ser o primeiro de uma banda punk a ser lançado por uma grande gravadora, a Warner. O Inocentes, grupo liderado pelo vocalista e guitarrista Clemente, fazia um som com fortes influências de Ramones, Dead Kennedys e The Clash. Suas letras eram muito urbanas e falavam do caos nas grandes cidades. O hit clássico é a música que dá nome ao álbum. “Rotina” também foi outro sucesso. Pânico em SP está para ser relançado em CD.

Longe Demais das Capitais (Engenheiros do Hawaii)
Humberto Gessinger transformou o Engenheiros do Hawaii num dos mais populares grupos do rock brasileiro. A banda foi uma das primeiras fora do eixo Rio-São Paulo a fazer sucesso nacionalmente. Com um rock básico e letras cheias de refrões criadas por Gessinger, o grupo chegou forte com este primeiro disco e mostrou sucessos como “Toda Forma de Poder”, “Segurança” e “Longe Demais das Capitais”.

Correndo o Risco (Camisa de Vênus)
Quem também conseguiu furar o domínio de cariocas e paulistas no rock brasileiro foi a banda Camisa de Vênus. Com Marcelo Nova nos vocais e letras, o grupo baiano invadiu as rádios com músicas politizadas e cheias de ironia como “Só o Fim”, “Simca Chambord” e “Deus me Dê Grana”.

Fonte: Uol Música

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Blog Stats

  • 166.762 hits
%d blogueiros gostam disto: