Incentivos fiscais para as artes: balanço histórico e perspectivas futuras

por Leonardo Brant

Já faz um tempo que o Marcelo Gruman mandou este interessante estudo, constituindo o cenário do setor cultural, sobretudo em sua relação com o sistema público de financiamento à cultura, a partir do filtro específico da Lei Rouanet. Demorei um pouco para publicar esta resenha, pois estava procurando encontrar um lugar mais nobre no site para disponibilizar estudos como esses, mais aprofundados e que nos permite uma reflexão maior sobre os caminhos e descaminhos da nossa política e do mercado cultural.

Como ainda não encontramos solução para o caso, quero recomendar por aqui mesmo, na coluna de resenhas, a leitura do trabalho. Marcelo parte de uma leitura história da Lei Rouanet para analisar seus efeitos no campo da cultura e da gestão pública de cultura, gerando uma percepção sobre o lugar do mecanismo para as artes e cultura no país.

Numa comparação entre este e outros modelos de investimento às artes, Gruman atesta a centralidade da Lei Rouanet mas aponta o olhar para novos caminhos e possibilidades de atuação do Poder Público, além dos benefícios fiscais.

Por fim, dá um panorama do projeto de lei estacionado no Congresso Nacional, o Procultura, e aponta as necessidades e possibilidades de avanço. Uma matéria prioritária para os leitores deste Cultura e Mercado.

Clique aqui e baixe o documento na íntegra.

Fonte: Cultura e Mercado

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Blog Stats

  • 168.093 hits
%d blogueiros gostam disto: