Obras de Tarsila do Amaral viram dança

Dia 7 de maio, em apresentação única na Praça Victor Civita, o espetáculo de dança infanto-juvenil da Cia Druw “Vila Tarsila”, dirigido por Miriam Druwe e Cristiane Paoli Quito.

Em um roteiro que valoriza o lúdico, o espetáculo joga luzes nas memórias de infância de Tarsila do Amaral, e remonta sua trajetória criativa, desde suas primeiras impressões sobre cores e formas, até as origens dos elementos que influenciaram diretamente em sua criação artística.

Miriam Druwe e Cristiane Paoli Quito buscaram referências em algumas telas da pintora modernista para inspirar os seis bailarinos/intérpretes-criadores e a atriz Luciana Paes, que estarão em cena.

“Vila Tarsila” tem o apoio da 6ª edição da Lei do Fomento à Dança do Município de São Paulo e transporta o espectador ao mundo antropofágico da artista, demonstrando que sua obra nasceu das experiências visuais das inúmeras viagens realizadas e das brincadeiras que recheavam as tardes na fazenda onde vivia em Capivari, interior de São Paulo, onde podia correr livremente entre pedras, árvores, cactus e brincar com bonecas feitas de mato, em contraponto com a educação francesa que recebeu de seus pais. Certamente, o ápice desse aprendizado foi o “Manifesto Antropológico”, criado em parceria com Oswald de Andrade em 1928 e que propunha a “devoração cultural das técnicas importadas para reelaborá-las com autonomia, convertendo-as em produtor de exportação”.

O Que:     Vila Tarsila
Quando:  Sáb 07/05 às 18:00
Quanto:   Grátis
Onde:       Praça Victor Civita – Rua Sumidouro, 580 – Pinheiros
(11) 3031-3689  – http://pracavictorcivita.abril.com.br

Fonte: Catraca Livre

O Que:     Vila Tarsila
Quando:  Sáb 07/05 às 18:00
Quanto:   Grátis
Onde:       Praça Victor Civita – Rua Sumidouro, 580 – Pinheiros

http://pracavictorcivita.abril.com.br
begin_of_the_skype_highlighting            (11) 3031-3689

Caixa Cultural lança editais para projetos a serem realizados em 2012

A Caixa Econômica Federal disponibilizou nesta quinta-feira (5/5) o conteúdo de três editais de apoio a projetos culturais para 2012. Foram publicados os editais para Ocupação dos Espaços da Caixa Cultural; de Apoio ao Artesanato Brasileiro; e de Festivais de Teatro e Dança.

O Programa de Ocupação dos Espaços da Caixa Cultural selecionará projetos para a formação das pautas a serem realizadas no período de março de 2012 a fevereiro de 2013, nas unidades de Brasília, Curitiba, Rio de Janeiro, Salvador e São Paulo. O valor máximo de patrocínio por projeto será de R$ 300 mil. O período de inscrição irá de 09 de maio até 10 de junho de 2011.

Os projetos podem ser nas áreas de artes visuais (fotografia, escultura, pintura, gravura, desenho, instalação, objeto, vídeo-instalação, intervenção e novas tecnologias ou performances), artes cênicas (teatro, dança e performance de palco), música e cinema. Além dessas modalidades, estão contempladas ainda palestras, encontros, cursos, workshops, oficinas e lançamento de livros.

O programa de Apoio ao Artesanato Brasileiro selecionará projetos a serem realizados ao longo de 2012 que visem ao desenvolvimento de comunidades artesãs e à valorização do artesanato tradicional e da cultura brasileira, contemplando várias etapas do processo produtivo. Em 2012, o valor máximo de patrocínio por projeto será R$ 50 mil. O período de inscrições irá de 16 de maio até 17 de junho de 2011.

Já o programa de Apoio a Festivais de Teatro e Dança selecionará projetos de festivais de teatro e dança que acontecerão em todo o território nacional, no período de janeiro a dezembro de 2012. O valor máximo de patrocínio por projeto será de R$ 200 mil. O período de inscrições irá de 16 de maio até 17 de junho de 2011.

As inscrições para todos os programas são feitas exclusivamente por meio de formulário eletrônico no site www.caixa.gov.br/caixacultural.

Fonte: Cultura e Mercado

Fundação Theatro Municipal é aprovada em São Paulo

A Câmara de São Paulo aprovou ontem, em segunda votação, o projeto de lei do prefeito Gilberto Kassab que abre caminho para a que a administração do Theatro Municipal seja feita pela iniciativa privada.

O projeto acaba com o Departamento do Theatro Municipal, vinculado à Secretaria Municipal de Cultura, e cria a Fundação Theatro Municipal, um órgão composto por uma série de instâncias e conselhos e que terá autonomia administrativa e financeira para contratar funcionários, especialistas e integrantes dos corpos artísticos.

A fundação também poderá firmar parcerias e adotar novas formas de captação de recursos, mas continuará recebendo dinheiro do Orçamento. Em 2010, o complexo do Theatro Municipal recebeu R$ 31,4 milhões.

O projeto regulamenta que a fundação deve selecionar uma organização social de interesse público para fazer a gestão do complexo.

Para virar lei, o projeto ainda precisa ser sancionado por Kassab. Na justificativa, o prefeito afirma que o teatro “ganhou a dimensão institucional que hoje ostenta, porém sem possuir autonomia administrativa e orçamento compatível com sua importância e tamanho”.

Além do Theatro Municipal, serão incorporados à fundação todos os corpos artísticos a ele ligados, como a Orquestra Sinfônica Municipal, a Orquestra Experimental de Repertório, o Coral Lírico, o Coral Paulistano e o Balé da Cidade, entre outros.

REPERCUSSÃO

Músicos da Orquestra Sinfônica ouvidos pela Folha avaliam de forma positiva a aprovação do projeto de lei.

“Temos que pensar no que é melhor para a orquestra, porque maestro, músico e político passam”, diz o percussionista Paschoal Roma, 55, há 33 anos concursado.

Para Jacy Guarani, 58, há 20 anos soprano do Coral Lírico, o momento não é de euforia. “A sociedade tem que ficar atenta a quem será indicado para a gestão porque falamos de um patrimônio da cidade”, disse.

Fonte: Folha de S. Paulo

Seleção de Projetos de Arte de Rua

Inscrições abertas para projeto de formação audiovisual

Estão abertas até 31 de maio as inscrições para o BrLab, que acontece em São Paulo de 8 a 17 de julho. Dedicado à projetos audiovisuais da América Latina, é direcionado a produtores e jovens realizadores cinematográficos e tem seu principal foco no desenvolvimento de projetos de longas-metragens, planejamento da produção e consultoria de roteiro.

Podem ser inscritos filmes de ficção, independentemente do estágio de financiamento, com  roteiro em desenvolvimento e diretor definido.

O resultado, com a lista dos doze projetos selecionados (seis vagas para diretores estreantes e seis vagas para diretores não estreantes com até dois longas-metragens realizados), será divulgado no dia 10 de junho.

A organização do BrLab cobrirá os custos de passagem, hospedagem e alimentação para dois integrantes (produtor e diretor/roteirista) de cada projeto selecionado.

Os selecionados participarão da clínica de roteiro, sob responsabilidade do roteirista Miguel Machalski (Argentina/França) e do professor Jorge Durán (Brasil/Chile). Já a clínica de produção tem como responsáveis o produtor Joan Álvarez (Espanha) e o diretor Gustavo Montiel (México). Haverá ainda palestras e encontros com profissionais nacionais e internacionais.

Ao final do programa serão realizadas sessões de pitching – defesa oral dos projetos – e será conferida uma premiação em dinheiro no valor de 1.500 dólares ao projeto vencedor. No júri, estarão presentes profissionais de distintas áreas do audiovisual.

O projeto BrLab é uma atividade da Associação do Audiovisual em parceria com a Secretaria de Audiovisual do Ministério da Cultura e apoiada pela Cinemateca Brasileira, pela Sociedade de amigos da Cinemateca e do Departamento de Cinema, Rádio e Televisão da ECA-USP.

Mais informações: contato@lab-br.com.br ou (11) 3045.0762 / (11) 3862.4027

*Com informações do site da Ancine

Fonte: Cultura e Mercado

Blog Stats

  • 167.125 hits