Flamenco: Belén Maya ministra workshops no Brasil

Os flamencos brasileiros estão sendo “regalados ” com o primor e  ensinamentos de grandes artistas  em nosso país. Em breve, chegará ao nosso país,  Belén Maya.

Filha de duas grandes figuras do flamenco: Carmen Mora e Mario Maya, Belén Maya nasceu em Nova York em uma das viagens de seus pais, como pressagio da internacionalidade de sua arte.

Estudou na Escola de Ballet Nacional, dirigida por María de Ávila, além de Martha Graham, aprendendo também técnicas e estéticas de dança orientais. Como resultado desta formação, com seu dom, curiosidade e seu estilo de dança,  resultou  em inéditos e particulares movimentos de braços, olhares e excelentes movimentos de seu corpo.

No começo passou três anos na Companhia de Mario Maya, enquanto adquiriu experiência nos tablados sevilhanos.

Ingressou  como  primeira bailarina da recém formada Companhia Andaluza de Dança e foi  convidada por Carlos Saura para participar do filme Flamenco, representando as novas gerações e  a vanguarda do flamenco. Sua intervenção foi  um marco do baile flamenco feminino e abriu um novo caminho quanto a conceito, musicalidade, movimento e indumentária.

Também colaborou com as companhias e espetáculos dos mais importantes bailaores e coreógrafos como Javier Barón, Alejandro Granados, Manuel Reyes, Ricardo Franco, Andrés Marín, Goyo Montero e Ramón Oller.

Belén Maya formou  sua própria companhia em 1996, com a primeira montagem “La Diosa em Nosotras”, obra de reivindicação e esclarecedora do papel, nem sempre reconhecido, das mulheres no flamenco. A companhia é formada somente por bailaoras: Yolanda Heredia, Teresa Nieto, Rafaela Carrasco, Isabel Bayón.

Até hoje, com a sua  forma única  de unir sensibilidade e técnica, Belén alcança  materialização prestímana da música em sua linha, forma e movimento que representam verdadeiramente o “Feminino e a Contemporaneidade” no flamenco.

 

Workshops:

20 à 28 de agosto em São José dos Campos

30 de agosto à 07 de setembro em São Paulo

Inscrições

www.festivalflamenco.com.br

Breve, mais informações.

Fonte: Flamenco Brasil

Festival Internacional de Dança do Recife

Os interessados devem produzir um DVD (não editado) com a coreografia que desejam apresentar, número de participantes, ficha técnica, especificações sobre a obra e sugestão de valor do cachê. Para os trabalhos de outras cidades, estados e países, o prazo limite (somente para este ano) será a data de postagem. A seleção vai até 10 de junho.

O material deve ser entregue na administração do Centro Apolo Hermilo, aos cuidados de Arnaldo Siqueira, no horário comercial, até 10 de junho. Mais Informações através do telefone: 3355.3320

Fonte: Dança Brasil

Começa amanhã o Circuito Sesc de Arte

O Circuito Sesc de Arte inicia amanhã percurso por 88 cidades do interior, litoral e Grande São Paulo. Até o dia 19, 270 artistas e 71 atividades, entre música, teatro, circo, dança, artes visuais, literatura e artemídia, percorrerão seis roteiros diferentes simultaneamente.

Além de levar programação cultural de qualidade a cidades que em geral não entram na turnê de muitos espetáculos, o Circuito parte do princípio de que a experiência artística é agente capaz de quebrar a rotina dessas cidades, provocando e promovendo diálogos com a população e com artistas locais, criando novas possibilidades de se ver e de se produzir arte.

Não por acaso, o Circuito inclui a apresentação de artistas do interior do Estado, que são “retirados” de suas regiões e “postos para viajar” e se apresentar em novas cidades, palcos e para novos públicos. A arte é apresentada de forma única, proporcionando não só a construção da educação artística, mas também pelo estímulo dos sentidos. “O Circuito Sesc de Artes 2011 é uma oportunidade expressiva para se concretizar a missão da instituição na democratização do acesso do mais amplo público à produção artística”, declara o diretor regional do Sesc São Paulo, Danilo Santos de Miranda. Ele ainda afirma que “os shows, espetáculos de teatro e dança, oficinas e as várias outras linguagens da programação são apresentadas em formatos inusitados, que demandam a participação e o envolvimento do público presente. São atividades que enfatizam o encontro e a troca simbólica entre as pessoas, gerando um raro momento de congraçamento que as artes tão bem conseguem proporcionar.”

Entre os destaques da programação estão, no teatro, Auto da Paixão, do Grupo Circo Branco, de São Paulo e Pernambuco; Negrinho do Pastoreio, do Grupo Oigalê, do Rio Grande do Sul; Poemas Esparadrápicos, inspirado em um livro de poesias infantil em forma de esparadrapo, organizado por José Santos Matos, entre outros. Mais informações e a programação completa podem ser acessadas no site www.sescsp.org.br/circuito.

Fonte: O Estado de S. Paulo

Festa do Teatro distribuirá ingressos para 150 peças

Começa esta semana a Festa do Teatro 2011. O evento, que já faz parte da agenda cultural da cidade de São Paulo, está em sua terceira edição e terá abertura oficial na quinta-feira, no Vale do Anhangabaú, às 12 horas, com apresentação da Cia Base, que fará números aéreos em um balão a 30 metros de altura. A novidade deste ano fica por conta dos espetáculos infantis nos Centros Educacionais Unificados (CEUs), além de sessões com audiodescrição e legenda para portadores de deficiência visuais auditivas.

Com o objetivo principal de democratizar o acesso à produção teatral contemporânea brasileira, a Festa do Teatro tem entrada gratuita para todas as apresentações. Nos dois primeiros anos, obteve grande aprovação da população e distribuiu cerca 77 mil ingressos para 340 espetáculos. Desta vez, estima-se que serão distribuídos cerca de 40 mil ingressos em seis pontos da cidade, nos dias 2, 3 e 4. Ao todo, serão 120 espetáculos adultos e 30 infantis, em várias regiões da cidade. A Festa segue até o dia 12 de junho e mais informações podem ser obtidas pelo site oficial do evento: http://www.festadoteatro.com.br.

Confira alguns espetáculos que terão ingressos gratuitos:

“Mamma Mia!”, em cartaz no Teatro Abril
“New York, New York”, em cartaz no Teatro Bradesco
“Pterodátilos”, em cartaz no teatro Faap
“Édipo”, em cartaz no teatro Eva Herz
“Evita”, em cartaz no Teatro Alfa
“A Tempestade”, em cartaz no teatro Raul Cortez
“Labutaria”, em cartaz no shopping Frei Caneca
“Sem Pensar”, em cartaz no Tuca
“Deus da Carnificina, uma Comédia sem Juízo”, em cartaz no teatro Vivo
“Luis Antonio – Gabriela”, em cartaz no Galpão do Folias

 

Veja os locais de distribuição e horários:

Biblioteca Mário Schenberg

R. Catão, 611, Lapa, zona oeste, São Paulo, SP. Qui. (2) a sáb. (4): 11h às 14h.

Biblioteca Paulo Setúbal

Av. Renata, 163, Vila Formosa, zona leste, São Paulo, SP. Qui. (2) a sáb. (4): 11h às 14h.

Casa Amarela

Pça. Floriano Peixoto, 131, Santo Amaro, zona sul, São Paulo, SP. Qui. (2) a sáb. (4): 11h às 14h.

Teatro Municipal (distribuição em frente às Casas Bahia)

Pça. Ramos de Azevedo, s/nº, centro, São Paulo, SP. Qui. (2) a sáb. (4): 14h às 17h.

Centro Cultural São Paulo

R. Vergueiro, 1.000, Liberdade, centro, São Paulo, SP. Qui. (2) a sáb. (4): 16h às 19h.

SP Escola de Teatro

Av. Rangel Pestana, 2.401, Brás, centro, São Paulo, SP. Qui. (2) a sáb. (4): 16h às 19h.

Fontes: O Estado de S. Paulo e Folha de S. Paulo

Folha promove debate sobre financiamento à cultura

A Folha de São Paulo promove amanhã (1), às 20h, debate sobre financiamento à cultura, com Léo Lama, André Sturm, Leonardo Brant e o secretário de Fomento e Incentivo à Cultura do MinC, Henilton Menezes.

O evento acontece no MIS (av. Europa, 158). Inscrições gratuitas em eventofolha@grupofolha.com.br.

Rádios públicas de SP promovem seu primeiro festival

A Rádio UFSCar e a Rádio Unesp de Bauru, com o apoio da Rádio Cultura Brasil e a Rádio Cultura Municipal de Amparo, apresentam o I Festival de Música das Rádios Públicas de São Paulo.

Esta é a primeira vez que o estado de São Paulo realiza seu festival. Os músicos concorrem a duas vagas na edição nacional, o III Festival de Música das Rádios Públicas do Brasil, promovido pela Associação das Rádios Públicas do Brasil (ARPUB).

Na primeira fase, 30 músicas serão selecionadas e serão veiculadas nas quatros rádios paulistas envolvidas no festival. Dessas, 10 passarão para a segunda fase; uma será escolhida pelos ouvintes e outra pela comissão julgadora. As duas vencedoras seguirão rumo à edição nacional.

As inscrições podem ser feitas entre os dias 16 de maio e 17 de junho nos sites da Rádio UFSCar e da Rádio Unesp de Bauru ou clicando no box Links, ao lado. A lista de selecionados para a primeira fase será divulgada dia 4 de julho.


O começo de tudo

Em 2003, a Rádio Educadora FM da Bahia criou seu primeiro festival de música. Seis anos depois, a ideia foi incorporada pela ARPUB, que passou a organizar o evento em nível nacional, com a participação de emissoras públicas de todas as regiões do país.

Idealizador e produtor dos célebres festivais de música dos anos 1960 e 1970, Solano Ribeiro apresenta em seu programa na Rádio Cultura Brasil faixas do disco duplo que reuniu 20 registros das categorias vocal e instrumental, com os vencedores das etapas regionais e os vencedores do evento nacional do I Festival de Música das Rádios Públicas do Brasil.

Fonte: Portal Cultura Brasil

Tears For Fears volta ao Brasil para apresentações em seis capitais

por Thábata Mondoni

Após 15 anos, a banda Tears For Fears retorna o Brasil para turnê em Porto Alegre, São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Brasília e Fortaleza.  Deixando as desavenças de lado, Tears For Fears contará com Roland Orzabal e Curt Smith novamente juntos.

O fãs poderão assistir seus ídolos relembrarem hits como “Shout”, “Everybody Wants to Rule the World”, “Woman in Chains” e “Advice for the Young at Heart”, além do mais recente disco “Everybody Loves a Happy Ending”, influenciado pelo ex-Beatle Paul McCartney, que contém as tops  “Closest Thing to Heaven” e “Call Me Mellow”.

A banda que possui seis álbuns lançados e mais de 30 milhões de discos vendidos em todo o mundo, tem sua primeira apresentação no Brasil marcada para o dia 4 de outubro, em Porto Alegre e depois passarão por São Paulo no dia 6 seguinte.

A pré-venda para clientes Credicard, Citibank e Diners já acontece entre os dias 23 e 29 de maio. A venda oficial será aberta no dia 30 de maio.

AGENDA DE SHOWS
4/10 – Porto Alegre – Pepsi On Stage
6/10 – São Paulo – Credicard Hall
8/10 – Rio de Janeiro – Citibank Hall
9/10 – Belo Horizonte – Chevrolet Hall
11/10 – Brasília – Centro de Convenções
15/10 – Fortaleza – Siara Hall

Fonte: Portal CMais

Theatro Municipal de São Paulo reabrirá em junho – Conheça algumas curiosidades sobre o Theatro

  Após um longo e tenebroso inverno período de reformas, o Theatro Municipal de São Paulo será reaberto em junho.

Como nós, do Catarse Musical, sabemos que você provavelmente vai ler muitas coisas sobre o assunto nos próximos dias, fomos atrás de uma listinha de curiosidades sobre o Theatro, publicadas pelo jornal O Estado de S. Paulo:

link A construção do Teatro Municipal consumiu oito anos, 4,5 mil contos de réis, 4,5 milhões de toneladas de tijolos, 700 toneladas de armadura de ferro e 50 toneladas de ferro fundido;

link O Municipal foi inaugurado em 12 de setembro de 1911 com a ópera ‘Hamlet’, de Ambroise Thomas, interpretada pelo barítono italiano Titta Rufo, com a participação de uma orquestra de 70 músicos, 56 coristas e 16 bailarinos;

link O Teatro Municipal manteve a fama, durante anos, de ser um lugar assombrado, onde almas vagariam durante as noites vazias;

link Ouro de 24 quilates ornamentam os capitéis e cornijas;

link O lustre principal tem 15 mil pingentes e 260 lâmpadas, pesa 300 quilos, mede aproximadamente dois metros e meio de diâmetro e dois de altura;

link As esculturas da escadaria do Municipal são de Afonso Aldinoffi, que foi professor de Victor Brecheret. Foram entalhadas em 1911;

link A Semana de Arte Moderna, que alçou o movimento modernista nas artes plásticas e na literatura, aconteceu no Teatro Municipal, em fevereiro de 1922;

link Em 1985, um laudo do Instituto de Pesquisas Tecnológicas indicou que o Teatro Municipal deveria ser fechado, o que foi feito pelo prefeito à época, Mário Covas;

link Construído em alvenaria e granito em mais de 1 mil metros quadrados, o subsolo do Municipal foi descoberto em 1987. A área, que estava soterrada, servia de abrigo para os gatos da Praça Ramos;

link Os gatos, aliás, miaram tão alto durante toda a temporada lírica de 1966  que chegaram a atrapalhar o canto da soprano Lucia de Lamemour;

link Durante a reforma da década de 80, foram descobertos dois mosaicos venezianos de ladrilhos minúsculos. Os painéis, que representam cenas do mar e a obra Cavalgada das Valquírias, estavam encoberto de tinta, fuligem e poluição. Foram limpos com cotonetes.

Gilberto Kassab sanciona lei que cria Fundação Teatro Municipal de São Paulo

O prefeito Gilberto Kassab (PSD) sancionou na manhã desta sexta-feira (27/5) a lei de criação da Fundação Teatro Municipal de São Paulo. No evento, realizado na prefeitura, com a presença de diversos secretários municipais, como o da cultura, Carlos Augusto Calil, também foram anunciadas a programação para o ano e a data de reabertura do teatro, marcada para 10 e 11 de junho, para convidados, e dia 12 do mesmo mês, para o público.

Na cerimônia, também foi apresentado pelo secretário municipal de Desenvolvimento Urbano Miguel Bucalém o projeto de construção de um estacionamento que ficará nas esquinas das ruas 24 de Maio e Conselheiro Crispiniano. O edifício, com área total de 12 mil m² e nove andares, atenderá o público no entorno do teatro e também terá uma passagem subterrânea com acesso direto ao Municipal.

O teatro, que havia passado por reformas em 1956 e em 1988 (até 1991), completa cem anos no dia 12 de setembro e está fechado desde julho de 2008 para reformar a fachada e o interior, com destaque para o palco e a parte cenotécnica, considerada obsoleta e que impedia, por exemplo, que óperas e outras grandes produções pudessem ser apresentadas. “Como vocês sabem, o principal o atraso nas obras do palco é que trouxe a reabertura a esta data. Tivemos dificuldades na licitação da reforma do palco, mas agora poderemos ter um aumento da produção artística e receber espetáculos mais complexos. Trata-se de uma tecnologia que nós ainda não dominamos, mas nosso funcionários acompanharam todo o processo e estarão aptos a desempenhar suas funções”, disse o secretário municipal de Cultura, Carlos Augusto Calil.

Foram quase três anos de obras e um investimento superior a R$ 26 milhões, com recursos financiados pelo Banco Intermediário de Desenvolvimento (BID). O projeto de lei para transformar o Municipal em uma fundação havia sido aprovado, em segunda votação, na Câmara de São Paulo, no último dia 5. No evento de ontem, no qual Kassab sancionou a lei, Calil lembrou da antiga “batalha” para que o teatro fosse administrado por uma fundação. “Esse esforço ocorre faz mais de 35 anos. E é importante deixar claro que o Municipal será uma Fundação de Direito Público, não privado. Quem disse que o teatro ia ser privatizado, falou bobagem. Além da restauração da fachada, da modernização do palco, o Municipal tem agora uma nova organização administrativa”, disse.

Sobre a morosidade na mudança para uma fundação, ele se justificou apontando a complexidade da estrutura. “Diferente de outros teatros, o Municipal tem diversos organismos, com duas orquestras, dois corais, um corpo de dança, um quarteto de cordas e as escolas. Havia desigualdades entre atividades semelhantes, com precariedades que se arrastavam fazia 20 anos. Isso precisa mudar”, completou Calil.

Ao comentar sobre a programação, com início marcado para o próximo dia 12, o diretor artístico Abel Rocha explicou a opção por Concerto para Quarteto de Cordas e Orquestra, de Radamés Gnatalli. “Escolhemos o Radamés por ele ter uma obra para quarteto e orquestra. Temos também a obra do Ralph Vaughan-Williams (Serenade to Music) que permite usar o coral. A dança não aparece, mas terá um mês dedicado à ela em julho. O objetivo é trabalhar com os corpos estáveis do teatro de maneira conjunta.”

Em relação à fundação, Rocha declarou: “Ainda tudo é muito novo. Existe o conselho artístico, trabalhamos juntos, mas futuro é futuro, não sei até quando permaneço, quero colaborar”.

*Com informações do Estadão.com

Fonte: Cultura e Mercado

Festival de Teatro na Bahia promove atividades até setembro

De maio a setembro, Salvador (BA) vai receber a primeira edição do projeto Bahia em Cena – Festival Baiano de Teatro. Serão cinco meses de atividades como debates, interações artísticas, workshops de gestão, oficinas e ensaios abertos, finalizando com um Festival que tomará oitos espaços da cidade, por um mês.

Na próxima segunda-feira (30/5), o editor do Cultura e Mercado, Leonardo Brant, ministra workshop sobre captação de recursos. Destinado a gestores e empreendedores culturais, o curso reúne exposições teóricas e casos concretos, habilitando o participante a desenvolver um plano de captação de recursos a partir do negócio, em direção ao mercado.

O Bahia em Cena vai estimular o trabalho de produção em rede, envolvendo oito grupos/espetáculos baianos participantes de todo o processo. Três espetáculos foram convidados pela organização do projeto e cinco serão selecionados através de edital público, aberto até o dia 18 de junho. O objetivo é que todos eles tenham a oportunidade de se posicionar melhor enquanto agentes fazedores e propagadores de arte.

Mais informações no site www.bahiaemcena.com.br.

Fonte: Cultura e Mercado

Entradas Mais Antigas Anteriores

Blog Stats

  • 168.893 hits